free web
stats

EMEF e Visabeira assinam acordo com CFM em Moçambique

MZ_memorandoo (actualizado 06.06.2014) A EMEF- Empresa de Manutenção de Equipamentos Ferroviário, o grupo Visabeira Moçambique e a Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), assinaram no passado dia 2 de Junho um Memorando de entendimento para constituir uma sociedade em Moçambique, no sentido de garantir a manutenção, reabilitação, grande reparação e fabrico de material circulante ferroviário.

Referindo-se à plataforma de entendimento estabelecida, Victor Gomes, Presidente do Conselho de Administração do CFM  , adiantou  “ao assinarmos este memorando, temos a certeza de que escolhemos os parceiros certos, que têm a capacidade comprovada para, juntos connosco, avançarmos com a instalação de uma unidade de produção e reparação de material circulante, que possa responder às exigências que o mercado actual impõe.”

ZOOM webrails.tv com António Jorge Costa, Presidente da Comissão Executiva Visabeira Moçambique S.A.

webrails.tv -  O acordo visa a manutenção, reabilitação, grande reparação e fabrico de material circulante ferroviário. Como se chegou à assinatura do Memorando?

António Jorge Costa – Trata-se de um longo processo negocial que se vem desenvolvendo desde há alguns anos.

webrails.tv -  Neste contexto qual o papel, e que desafios se colocam à Visabeira com este memorando para a manutenção, reabilitação, grande reparação e fabrico de material circulante ferroviário?

António Jorge Costa – A Visabeira é um dos três signatários do memorando e partilha com os seus outros dois parceiros o objectivo de assegurar que em conjunto se realize a manutenção, reabilitação, grande reparação e fabrico de material ferroviário que responda ás necessidades do sistema ferroviário de Moçambique.

webrails.tv -  Quais os papeis de EMEF e da Portos e Caminhos de Ferro de MZ?

António Jorge Costa – As três sociedade são parceiras neste projecto no qual partilham objectivos e responsabilidades conjuntas.

webrails.tv -  Moçambique é um país extenso com três zonas ferroviárias. Onde será implementada a base da operação para manutenção, reabilitação, grande reparação e fabrico de material circulante ferroviário?

António Jorge Costa – O acordo assinado visa a implementação inicial de uma unidade em Nacala.

webrails.tv -  A sociedade vai estar alocada a uma região de Moçambique, ou terá ambito nacional?

António Jorge Costa – A sociedade terá o âmbito nacional, iniciando pelo sistema Norte. Mas aberta a necessidades que o mercado determine.

webrails.tv -  Para terminar. Pode dar uma ideia do envolvimento e áreas no sector ferroviário, onde a Visabeira actua na actualidade e quais os desafios que se apresentam?

António Jorge Costa – A Visabeira actua presentemente nas infraestruturas ferroviárias, nomeadamente via, telecomunicações, sinalização e energia. Os desafios são aqueles determinados pelas necessidades do mercado.

Segundo a nota do CFM, a assinatura deste memorando vai ao encontro da conclusão das obras do Corredor Ferroviário Norte. A conclusão das obras da construção da Linha  Moatize-Nacala, que será usada para transportar o carvão de Moatize e outras cargas,  numa extensão de 912 Km,  está prevista para Outubro deste ano.

Rui Ribeiro