free web
stats

Dia Mundial do Cinema: Caminhos de Ferro

Boletim CP(19.06.2014) A webrails.tv associa-se ao Dia Mundial do Cinema, e destaca alguns pontos de partida em películas com ferroviários,  comboios e estações em pano de fundo. A ferrovia como uma espécie de protagonista, ora a estrelar o filme, ora compondo a acção como elemento do cenário, ou como acessório para o avançar do enredo. Sempre envolvido em contextos lúdicos ou dramáticos, inspirados em factos reais, ficção, ou históricos.

Assim, aproveitamos para lançar,  na data em que se celebra as 24 imagens por segundo, cinco caminhos por caminhos de ferro, para vários destinos.

Começamos as nossas sugestões por “Robbery” , um Heist Movie realizado em 1967 por Peter Yates. O filme foi inspirado no assalto ao comboio correio que fazia a ligação Glasgow – Londres. Quando se deu o roubo transportava cerca de 2 milhões de libras, um valor recorde para a época. O filme não destaca o meio ferroviário, mas é central no filme e mostra hoje um papel atribuido pela sociedade de então aos Caminhos de ferro. Um meio de transporte implementado, com forte participação activa no fluir da rotina diária da sociedade inglesa em 1963.

Mais denso em ferrovia, a acção desenrola-se no Metro de Nova York, outro Heist Movie do género “policial”, “The Taking of Pelham One Two Three”  realizado por Joseph Sargent. Uma carruagem do Metro de Nova York é sequestrada, sendo  exigido um resgate para libertar os passageiros entretanto feitos reféns. Como referência, o humor negro, a banda sonora, e nos dias de hoje, o figurino de uma época em envolvência ferroviária. O Filme é de 1974 , com direito a uma remake dirigida por Tony Scott . A última versão, em 2009, contou com a participação de Denzel Washington, e John Travolta.

Uma história simples e vulgar, “The Station Agent” por Thomas McCarthy. O Caminho de Ferro participa de forma discreta mas fabulosa num filme que promove a amizade e o companheirismo. No inicio para dar sentido e depois  como cenário para  a banalidade da vida naquilo que a pode deixar feliz. Peter Dinklage, Patricia Clarkson, Bobby Cannavale, a emprestam sentido à película de 2003.

Os ferroviários ingleses num contexto de devir, “The Navigators” por  Ken Loach. Em ficção, um retrato inspirado na realidade, que procura dar uma escala de cinzentos ao preto e branco do inicio do fim da British Rail em 1994. O filme de 2001 evoca o período de transição, rumo à privatização do sector, de um grupo de trabalhadores na área da via e obras. Processo que procura encerrar o reflexo na componente social do plano laboral.

Para terminar, “El Ultimo Tren” , escrito e realizado por Diego Arsuaga, o filme de 2002 apanhou o comboio no Uruguai. Activismo ferroviário em ficção bem disposta. Um desafio latente em muitos aficionados  dos caminhos de ferro, salvar uma peça ferroviária. Este filme pode encontrar-se completo por meio de uma pesquisa na internet.

Cinco propostas da redacção da webrails.tv,  sem a ambição de não destacar mais do que o Dia Mundial do Cinema ao comboio. Em 2014 Dia Mundial do Cinema celebra-se a 19 de Junho.

Rui Ribeiro