free web
stats

Vagões CP Carga poderão vir a ser reparados em Espanha

img: Nuno Morão

img: Nuno Morão

A reparação de vagões, mais dois temas ligados ao sector ferroviário público, motivaram  3 questões por parte do Grupo Parlamentar do PCP ao Governo. As questões recairam  sobre  as orientações da EMEF, nomeadamente no Projeto LUSOGATE, nas Oficinas de Guifões e em relação aos vagões da CP Carga nos distritos de Lisboa, Porto, Setúbal e Santarém.

Os deputados querem ver esclarecidas correntes de ar que dão conta que a CP Carga se prepara para fazer a manutenção de vagões em Espanha. “A informação que recebemos é que a CP Carga se prepara para transferir para Espanha a manutenção, total ou parcial, dos seus vagões. Além dos prejuízos evidentes que esta medida acarretaria – para a EMEF, para os seus trabalhadores, para o país.”, avançam os deputados do PCP, lembrando os recentes descarrilamentos ocorridos na Beira Alta e a manutenção dos vagões da Takargo ser feita em Espanha. E questionam o Executivo “Confirma a intenção da CP Carga em passar a manutenção, total ou parcial, de vagões para Espanha?”

O projecto LUSOGATE, hoje uma parceria em inovação e tecnologia entre a NOMAD e a EMEF, motiva outra questão à Tutela “Qual o ponto de situação do projeto LUSOGATE? Como pretende o Governo garantir que as potencialidades deste projeto não são liquidadas pelos interesses das multinacionais que se movimentam no sector?

O terceiro aspecto prende-se com as Oficinas de Guifões, onde a manutenção da frota do Metro do Porto é realizada pela EMEF. Aqui o Grupo parlamentar revela um detalhe, “As oficinas encontram-se subconcessionadas pela REFER à EMEF até 2056, estando a cargo desta última a sua gestão.” Mas onde a manutenção é feita “Chegou ao conhecimento do Grupo Parlamentar do PCP que o Governo terá notificado a Administração da EMEF para, “com carácter de urgência”, entregar a responsabilidade pela gestão das instalações das oficinas à REFER. Tal decisão, que precariza a Empresa Pública que assegura a manutenção ferroviária”. A questão colocada ao Ministério da Economia “Confirma a intenção de obrigar a EMEF a abdicar da gestão das oficinas de Guifões, 42 anos antes do termo da subconcessão em vigor com a REFER?”

As questões seguiram do Parlamento para o o Excutivo com destino Ministério da Economia no dia 11 de Julho.