free web
stats

Infraestruturas de Portugal operacional em 2015

linhaÉ pelo menos essa a convicção avançada pelo semanário Expresso deste sábado. O jornal destaca o processo que a empresa resultante da fusão da Estradas de Portugal e REFER  deverá atravessar para se apresentar operacional na entrada de 2015. O processo divide-se em “Planeamento”, “Gestão Conjunta Operacional”, “Unidade Jurídica”, e “Fusão Efectiva”.

A primeira fase deverá estar concluída já no próximo dia 4 de Setembro. Segundo o semanário irá apresentar um mapa do processo de fusão, linhas estratégicas e sinergias da futura Infraestruturas de Portugal. Destacando que o objectivo é “tornar sustentável a rede rodoferroviária”. A segunda etapa prevê o “começar a funcionar em termos operacionais” da empresa, onde destaca a criação do primeiro orçamento conjunto da Infraestruturas de Portugal. Ainda nesta fase o semanário refere que os administradores José Serrano Gordo, e Vanda Nogueira assumem um “acompanhamento quotidiano” da rodovia, José Ribeiro dos Santos, e Alberto Diogo (que é também administrador financeiro) da Ferrovia, e João Carlos Osório para o imobiliário. A “Unidade Jurídica”, que deverá estar concluída até ao final de 2014, é apontada como a fase mais complexa. Nesta terceira etapa será constituída oficialmente a empresa pública Infraestruturas de Portugal que absorve Estradas de Portugal e REFER. A quarta fase passa pela efectivação da fusão, com a empresa em “condições para arrancar em 2015 como gestora de infraestruturas rodoferroviárias sustentável”, refere a publicação.

Américo Ramalho lidera o grupo de trabalho definido por Sérgio Monteiro, Secretário dos Transportes, para materializar o futuro modelo.

Rui Ribeiro