free web
stats

MCSPFB organizou passeio pelo Barreiro Ferroviário

barreiroPatrimonioO Movimento Cívico de Salvaguarda do Património Ferroviário do Barreiro (MCSPFB) realizou, no passado dia 21 de Setembro, um Passeio pela Rota do Património Ferroviário do Barreiro. A saída teve  início na antiga Estação Barreiro Mar, passou pela fachada da Oficina da EMEF, Bairro, Rotunda de Locomotivas, Barreiro A, Ponte das Palmeiras e Lavradio (Espaço L).

Com a actividade o Movimento procurou chamar a atenção para a situação do Património Ferroviário na actualidade e para a sua importância histórica, enquanto elemento aglutinador da identidade cultural do Barreiro.

A actualidade do Património Ferroviário contempla uma situação de impasse. Em Junho de 2013 o Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, assinou um Despacho para dar inicio a um processo de reorganização do espaço ferroviário. “Estudar as soluções mais adequadas para o  desenvolvimento e a regeneração do  património ferroviário do Barreiro, de forma a integrar uma visão única que reúna as visões de todas as entidades que de alguma forma têm intervenção sobre este vasto património e território”, referia o documento então.

A webrails.tv apurou que quase  um ano depois da data prevista para a entrega, o estudo do Grupo de Trabalho entrou na Secretária de Estado, e o processo seguiu para o Ministério da Economia. Sobre as conclusões elaboradas pelo Grupo de Trabalho, com possíveis soluções de visão integrada de desenvolvimento e regeneração do património ferroviário do Barreiro, não são publicas. Neste ponto, “A informação que refere não é publica, pelo que não será possível a consulta do mesma.“, informou a Assessoria do Ministro da Economia à webrails.tv.

Sobre o processo  em curso «a Câmara Municipal do Barreiro desconhece o conteúdo do referido relatório. A Autarquia apenas tem a informação de que o mesmo foi emitido pelo Secretário de Estado e posteriormente enviado para o Ministro», referiu um contacto da CMB.

Já o Ministério da Economia, sobre a evolução do processo informa que lamenta, mas neste momento nada mais tem a avançar a propósito do referido documento. Em aberto ficou saber se esta legislatura tem ainda algum avanço reservado para um ponto zero na evolução do Património Ferroviário do Barreiro.

Rui Ribeiro