free web
stats

Suprimidos atravessamentos na Linha da Beira Alta

A REFER informou que foram concluídos os trabalhos de automatização de duas passagens de nível (PN) aos km 207,273 e 226,392 da Linha da Beira Alta, respetivamente, nos concelhos da Guarda e Sabugal.

Ao km 207,273, nas imediações da estação ferroviária da Guarda, conhecida por PN da Quinta das Bertas, e embora esta cumprisse os requisitos de segurança determinados no Regulamento de Passagens de Nível, tendo em conta o aumento do seu tráfego rodoviário, e após avaliação de risco, a REFER decidiu incluí-la no plano de ações e proceder à sua automatização, dotando-a de sinalização luminosa, sonora e meias barreiras, encontrando-se ainda em estudo, com o Município da Guarda, uma solução que permita no futuro a sua supressão, bem como das restantes PN do concelho.

A automatização destas duas PN representou um investimento de cerca de 220 mil de euros, tendo os respetivos trabalhos sido desenvolvidos por meios internos do Grupo REFER e pela Thales Portugal, SA na sua integração no sistema de sinalização eletrónica da Linha da Beira Alta e no Centro de Comando Operacional de Lisboa.

Estas ações inscrevem-se no Plano de Supressão e Reclassificação de Passagens de Nível que a REFER tem em curso desde 1999, e que permitiu suprimir mais de 65% das PN existentes e melhorar as condições de segurança em cerca de 700 das que subsistem, com um investimento global na ordem dos 350 milhões de euros, tendo em vista a redução do número de acidentes e vítimas nestes atravessamentos, e que tem vindo a ser acompanhado por campanhas de comunicação, educação e sensibilização.

No corrente ano, e dando cumprimento ao previsto no Plano de Ação para a Segurança no Atravessamento da Via Férrea, foram suprimidas mais 15 PN e melhoradas as condições de segurança de outras 30, nomeadamente com a automatização de 23 PN, com um investimento global associado de 5 milhões de euros.

Para os próximos anos a REFER mantém o compromisso de dar continuidade ao seu plano de ações visando a redução da sinistralidade nos atravessamentos ao caminho-de-ferro, tendo como objetivo para 2020 a diminuição de mais 40% dos acidentes em PN, por referência a 2013, isto é, menos de 17 acidentes anuais.