free web
stats

Definida orgânica da Infraestruturas de Portugal

ponteValencaAo encontro do cronograma de fusão das empresas públicas REFER e Estradas de Portugal (EP), a administração conjunta deliberou sobre a macroestrutura da futura empresa responsável pelas estradas e ferrovia em Portugal. A reunião nomeou a alta direcção e aprovou as 3 áreas que vão estruturar a Infraestruturas de Portugal, avança comunicado que a webrails.tv teve acesso.

O modelo organizativo aponta à nova estrutura três áreas nucleares: ” Gestão da Mobilidade, Gestão de Infraestruturas Rodoviárias e Ferroviárias, e Gestão de dinamização de Centros de Lucro, “ para além dos serviços partilhados e corporativos. Com esta orgânica o Conselho de Administração conjunto prevê: ” permitir à futura empresa responder de forma clara e eficaz aos novos desafios da gestão integrada da rede de infraestruturas de transporte rodoferroviário nacional. “

No âmbito da Gestão da Mobilidade, deverão ser integradas ” as Direcções de Planeamento, Segurança e Ambiente, e Circulação dos dois meios de transporte, “ assim como uma área de Marketing Estratégico. Área que visa ” apoiar a nova visão de mobilidade multimodal em que assentam os pressupostos da fusão, “ e posicionar as actividades para tratamento regulatório diferenciado e fontes de receita core, avança o documento.

Já a área da Gestão de Infraestruturas: ” irá coordenar as concessões e os empreendimentos a cargo das empresas, assim como explorar a rede, e optimizar os activos rodoferroviários existentes. “

Na área de Gestão dos Centros de Lucro, deverão ser ” incorporados todos os negócios não core à actividade da empresa, geridos em regime concorrencial, nomeadamente as unidades passíveis de autonomização e monetização.”

Com o objectivo de aproveitar as sinergias de escala e know-how das funções comuns de ambas as empresas, ” os serviços partilhados constituem as Direções de Sistemas de Informação, Contratação e Desenvolvimento Organizacional e os serviços corporativos agregam os serviços transversais às duas empresas, como a Comunicação e Stakeholders, Capital Humano, Jurídicos e Finanças, Controlo de Gestão que integram as funções comuns, “ que deverá prever o reforço do sistema de controlo interno, de gestão de riscos e coompliance.

O documento destaca ainda que a linha de direcção aprovada em reunião, ” é composta por colaboradores de ambas as empresas: 55% provenientes da Refer e 45% da EP, e integra um maior numero de mulheres que aumentou de 26% para 31%, ” onde é assinalado que a alta direcção sofre uma redução de 20% relativamente à actual estrutura.

A reunião aconteceu no passado dia 2o de Fevereiro em Almada.