free web
stats

António Ramalho define 4 prioridades na rede ferroviária

barreiroAllanO Presidente do Conselho de Administração conjunta da EP/REFER destacou esta terça-feira em Lisboa as quatro prioridades ferroviárias de investimento no âmbito da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T). Durante a apresentação dos Investimentos Rodoviários e Ferroviários na RTE-T que decorreu no auditório da Refer em Santa Apolónia, o responsável definiu as ligações Sines-Badajoz e Aveiro-Vilar Formoso, e linha do Minho e Norte, como prioritárias.

O horizonte para a conclusão dos projectos identificados no Plano da REFER, centram-se no ano 2022, ano em que termina a aplicação de fundos alocados ao actual quadro de apoio. Os investimentos compreendem duas ligações do corredor Atlântico, inseridas na rede core, que deverão estar concluídas  em 2021 no corredor Sines-Badajoz, e em 2022 na ligação Aveiro-Vilar Formoso. E duas ligações da rede comprehensive, a Linha do Minho e Norte também com melhoramentos a executar até 2022.

A redução de tempos de viagem, a interoperabilidade, cruzamentos de comboios com 750 metros, peso por eixo de 1400 toneladas nos comboios de mercadorias, foram alguns dos aspectos comuns apontados como objectivos para tornar Portugal menos “ilha ferroviária”. A par da sinalização, e possibilidade de migração para a bitola UIC no caso das ligações core.

A apresentação dos Investimentos na Rede Transeuropeia de Transportes decorreu no passado dia 10 de Março.  A sessão deu a conhecer as prioridades nos investimentos rodo ferroviários e marítimo portuários portugueses, e contou também com a apresentação dos Investimentos no Estuário do Tejo, que levou os intervenientes até ao Barreiro.

Conduziram a sessão no auditório da REFER António Ramalho, Presidente da REFER /EP, João Carvalho, Presidente do Conselho Diretivo do IMT, e o Secretário de Estado Sérgio Monteiro. Estiveram ainda presentes representantes da DG-move, e Carlo Secchi, European Coordinator do corredor Atlântico, bem como outras entidades. João Carvalho apresentou os Investimentos Marítimo-Portuários na RTE-T, e Sérgio Monteiro fez uma leitura do caminho que vem sendo trilhado, tendo destacado a necessidade de se trabalhar no sentido de promover a interoperabilidade na ferrovia europeia.

.

Depois da sessão os intervenientes seguiram até ao Barreiro, rumo ao espaço que deverá albergar o futuro terminal de contentores da região de Lisboa. A deslocação privilegiou o modo ferroviário.

A partida deu-se ao final da manhã, com as entidades presentes, e delegação europeia, a seguiram a bordo da Allan Vip, uma automotora polivalente propriedade do gestor de infraestrutura. Na actualidade o veículo comporta valências para inspeccionar o comportamento da catenária através da gravação video. No entanto, em viagens especiais, a automotora conserva ainda as qualidades de conforto, requinte e versatilidade para receber passageiros de forma especial.

Durante perto de hora e meia de viagem, foi possível ficar a conhecer as propostas do porto de Lisboa para a bacia do Tejo, e também as linhas que definem o quadro europeu de investimento disponível na RTE-T.

Cerca da uma hora da tarde, depois de inverter a marcha na estação do Pinhal Novo, a automotora, que circulou via ponte 25 de Abril, chegou ao terminal ferroviário do Barreiro.

.

A jornada terminou com uma conferência de imprensa no Barreiro, depois da visita conduzida pelo Presidente da CMB à área reservada para o projecto do Terminal de Contentores da Lisboa, naquele Conselho.