free web
stats

EMEF e CP Carga: Entrega de propostas vinculativas terminou

img: Nuno Morão

img: Nuno Morão

Os interessados na CP Carga e EMEF tiveram até às 17h00 de hoje para entregar propostas vinculativas de aquisição das empresas do universo CP Comboios de Portugal. O calendário do processo para venda directa que terminou nesta terça-feira, dia trinta de Junho, iniciou-se no passado dia 15 de Maio via despacho da Secretaria de Estado do Tesouro.

Sobre os interessados à aquisição da CP Carga e EMEF, a webrails.tv procurou confirmar, quem solicitou documentação sobre o processo, e dos interessados quem entregou propostas vinculativas, junto da CP Comboios de Portugal. Mas até ao fecho do artigo não tivemos qualquer resposta.

No entanto a imprensa nacional confirma a MSC Rail, e avança a Cofihold, Springwater e Atena Equity Partner, na corrida para a  CP Carga. Já para a privatização da EMEF apontam propostas vinculativas, Bavaria Industries Group e Alstom.

O Expresso refere sobre a Cofihold: ” é do núcleo acionista que controla a Cofina, a Altri e a F. Ramada, sendo liderada pelo industrial Paulo Fernandes. ”  E adianta sobre a Springwater e a Athena  que ” são grandes fundos de investimento internacionais. “ Por outro lado a Bavaria Indutries, acrescenta o Observador: ” descreve-se como uma holding industrial especializada na aquisição e reorganização de empresas com resultados negativos.”

As propostas vinculativas de aquisição da CP Carga e EMEF têm agora um prazo de cinco dias para serem analisadas.  Os relatórios elaborados a partir das propostas seguem depois para decisão em Conselho de Ministros, que poderá passar pela venda ou não.

Entrou ainda em vigor esta terça feira o despacho da Secretaria de Estado do Tesouro que determina ” que o proponente selecionado preste uma garantia bancária para garantia do cumprimento das obrigações decorrentes da proposta financeira global, “  ao encontro do estipulado no caderno de encargos. Procedimento definido no âmbito do processo de venda direta de referência para a alienação das acções representativas de até 100 % do capital social das empresas da CP Comboios de Portugal.