free web
stats

Desconstruir tabus na Linha do Sabor

img: Maria Lemos

img: Maria Lemos

Será essa a proposta que Daniel Conde  vai levar à apresentação do livro “A Linha do Vale do Sabor um Caminho-de-Ferro Raiano do Pocinho a Zamora”. O lançamento acontece no próximo Domingo dia 26 em Carviçais, e faz parte do programa do Festival PAN, que decorre entre 24 e 26 de Julho de 2015. O colaborador da webrails.tv elaborou um dos capítulos do livro.

O convite para participar em “A Linha do Vale do Sabor um Caminho-de-Ferro Raiano do Pocinho a Zamora,” veio de um amigo de longa data, o professor Carlos d’Abreu, explicou. O docente desafiou-o a escrever um capitulo para o livro onde abordasse a reabertura da linha do Sabor, capitulo que concluiu para o livro. ” Resolvi acabar o capitulo, e como será a apresentação lá estarei. “

Embora quando falamos ainda não soubesse qual o tipo apresentação que iria levar como conferencista, destacou que o importante era ” que as pessoas fossem e debatessem a ideia, se é assim tão rebuscado reabrir a linha do Sabor”. Pois foi essa a participação que elaborou para o livro.

O capitulo tem como ponto de partida ” desconstruir tabus, “ para  ajudar as pessoas a pensar se são mesmo barreiras algumas situações simples que se colocam como entrave para se abordar a ferrovia. No caso da linha do Sabor questionar,  ” as estações ficarem muito longe da linha,  a linha ser muito tortuosa, ou o traçado ser do Séc. XIX e já não servir para nada, ”  se poderão ser mesmo argumentos para não reabrir a linha.

Por outro lado, e será esse também outro dos motes para a apresentação, focar o estudo feito nos números que fundamentam a viabilidade de uma aposta na reabertura da linha do Sabor. ” Quanto é que custa reabrir, quanto é que custaria explorar, e quais seriam os proveitos de uma possível exploração, “ alargando a linha até Miranda do Douro.

A apresentação do livro colectivo “A Linha do Vale do Sabor um Caminho-de-Ferro Raiano do Pocinho a Zamora”, acontece no dia 26. A publicação reúne trabalho de investigadores, escritores, poetas e artistas, e tem a chancela da Lema de Origem Editora, e coordenação de Carlos d’ Abreu.