free web
stats

Ferrovia recebe 104 milhões de euros em fundos da Política Regional europeia

linhaSintraUQEDe um bolo de mais de 460,3 milhões de euros de fundos da Política Regional europeia reservados para projetos portugueses, o sector ferroviário de via e obras vai receber 104 161 613 euros. Os projetos dizem respeito a intervenções na linha do norte, Sintra e prolongamento do Metro de Lisboa.

Segundo nota de imprensa que a webrails.tv teve acesso, dos 11 «Grandes Projetos» avançados para Portugal, 4 dizem respeito a infraestruturas ferroviárias. “Alguns destes projetos estão já concluídos e em funcionamento”, destaca o documento.

Os apoios destinam-se à modernização, entrentanto já realizada, da linha de Sintra na ” Secção Barcarena-Cacém”; na linha do Norte a “modernização da secção Ovar/Gaia (fase 1)”“modernização da secção Alfarelos/Pampilhosa (fase 1).” E no Metro de Lisboa a “extensão da Linha Azul até à Reboleira.”

Sobre a modernização da linha ferroviária de Sintra a nota adianta: “o valor de 32 778 021 euros do Fundo de Coesão (38 562 378 de euros, incluindo o cofinanciamento nacional). Este projeto compreende a quadruplicação da via num troço de 4,5 km, a melhoria das estações ferroviárias de Barcarena e Cacém e a supressão de todas as passagens de nível para peões e rodoviárias ao longo da referida secção. O projeto melhora a segurança e a capacidade da linha a utilizar para a ligação a Caldas da Rainha, logo que esta esteja eletrificada.”

Na Linha ferroviária do Norte apoia a fase 1 da modernização da secção Ovar/Gaia: ” valor de 6 011 654 euros do Fundo de Coesão (7 072 535 de euros, incluindo o cofinanciamento nacional). Este projeto inclui-se nas grandes obras de modernização da linha ferroviária do Norte e cobre uma distância de 36 km. Corresponde à primeira fase de modernização desta secção, a qual faz parte da rede principal das redes transeuropeias de transportes (RTE-T). O objetivo do projeto consiste em eliminar os pontos de estrangulamento, a fim de permitir o funcionamento eficaz da linha ferroviária do Norte. ” A intervenção deverá ” melhorar a qualidade de serviço e a segurança com a redução das passagens de nível e a instalação de sistemas eletrónicos de sinalização, telecomunicações e sistemas de controlo de velocidade, em conformidade com os requisitos das redes transeuropeias de transportes. ” A segunda fase deverá ser cofinanciada pelo Fundo de Coesão no período de programação de 2014-2020.

Ainda na Linha ferroviária do Norte refere também a fase 1 da modernização da secção Alfarelos/Pampilhosa “no valor de 22 842 283  euros do Fundo de Coesão (26 873 275 de euros, incluindo o cofinanciamento nacional). Este projeto abrange 40,22 km e inclui a remodelação das estações ferroviárias e a remoção de todas as passagens de nível para peões e rodoviárias na referida secção. “ A segunda fase (trabalhos de eletrificação) deverá ser cofinanciada pelo Fundo de Coesão no período de programação 2014-2020.

Por último, no apoio a infraestruturas ferroviária, surge a extensão da Linha Azul do Metro de Lisboa até à Reboleira. O financiamento apresenta o valor de 42 529 655 de euros do Fundo de Coesão, para a verba de 50 034 889 euros em cofinanciamento nacional.  “Este projeto consiste na extensão da Linha Azul do Metro de Lisboa, entre as estações da Amadora-Este e a estação intermodal da Reboleira, e inclui a construção de cerca de 0,6 km de galeria do túnel e a construção de uma estação do metropolitano na Reboleira (estação terminal). O objetivo é criar uma estação intermodal na Reboleira com ligação à linha de caminho-de-ferro (Lisboa-Sintra), à linha Azul do metropolitano e ao sistema de transportes públicos por autocarro. A população servida pelo prolongamento da linha de Metro aumentará em 10 798 pessoas e o projeto ajudará a reduzir as emissões médias de CO2 em 3 005 toneladas de equivalente CO2 por ano.”

Ainda segundo nota de imprensa divulgada ontem, segunda feira, para além das infraestruturas ferroviária a Comissão Europeia apoiou, a título do Fundo de Coesão e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, projetos de abastecimento de água para a zona do Alqueva (3), infraestruturas hidráulicas na ilha da Madeira (2), a conclusão do Túnel da autoestrada do Marão, e a criação de uma unidade de cuidados de saúde no porto.

Alguns destes projetos estão já concluídos e em funcionamento, sendo a decisão de cofinanciamento relativa ao período de programação de 2007-2013. Nesse período foram atribuídos a Portugal cerca de 21,5 mil milhões de euros em financiamento da Política de Coesão.