free web
stats

CP Carga doada à MSC Portugal avançam CT’s

CPcarga_As Comissões de Trabalhadores da CP e CP Carga entregaram esta segunda feira no Tribunal de Contas um oficio que questiona o processo de venda da empresa do Grupo CP. Em causa está o valor de venda, a dívida da empresa, e a inclusão da CP Carga na lista de empresas a privatizar no âmbito da passagem da Troika por Portugal.

O primeiro aspecto referenciado é o valor de alienação anunciado de 53 milhões de euros. Valor que para os  CT’s significa uma doação e não uma venda, pois adianta que esta se resume na realidade a 2 milhões de euros. As organizações recuperam, para ilustrar alienação proposta, o Relatório e Contas de 2014 onde a ” CP Carga possuía 5,8 milhões de euros à ordem a 31/12/2014, (…) activos fixos no valor bruto de 88 milhões de euros, valorizados em balanço, depois de depreciações, em 60,9 milhões de euros. Esses activos reportavam-se essencialmente a edifícios e equipamento diverso, principal mente o parque de vagões, (…) uma carteira de dívida de clientes a 90 dias de 11,1 milhões de euros, (…)  transfere, com esta venda, para a CP carga um conjunto de locomotivas, cujo valor bruto como activos da CP era de 110 milhões, estando avaliadas em balanço ainda por 88 milhões. “ E lembra ainda a que houve uma injecção de capital de 28 milhões de euros, no final de 2014, a propósito da transferência dos terminais de mercadorias da CP Carga para a REFER, actualmente Infraestruturas de Portugal.
Em segundo lugar o documento questiona a dívida da CP Carga, que aponta ter sido criada artificialmente: ” Essa questão foi sempre empolada pelos sucessivos governos quando tratavam de justificar a venda da CP Carga. (…) A dívida era de 120 milhões de euros a 31/12/2014. Desses, 31 milhões eram de leasings do material circulante da própria empresa e 71 milhões eram dívidas à CP. “

E por último, desafiam a reflexão do Tribunal de Contas na intenção dos partidos PSD, CDS e PS, para a inclusão da CP Carga na lista de privatizações inserida no programa da Troika. ” Conhecerá o Tribunal que a CP Carga foi colocada como empresa a privatizar no Memorando assinado por PS/PSD/CDS com a troika estrangeiras. Mas a dívida da CP Carga de 120 milhões de euros representa menos de 0,1% da dívida pública, e é um valor insignificante mesmo quando comparado com dívidas de empresas privadas (por exemplo, a empresa privada EDP tem mais de 17 mil milhões de dívida). E no entanto, a troika reclamou a sua privatização por causa da dívida. “

Para rematarem no oficio que: ” se trata apenas de um processo de oferta da CP Carga que rotulamos de criminoso e lesivo do interesse público. “ E que acusam de ser também um processo de descapitalização da CP Comboios de Portugal.