free web
stats

O C.F. em Portugal assinala 159 anos, a sério?

modEntroNor_01De acordo com o site da CP Comboios de Portugal faz hoje, 28 de Outubro, 159 anos que o 1º comboio de passageiros se efectuou em Portugal.  De acordo com o site da Fundação Museu Nacional Ferroviário: ” Hoje é Dia Mundial dos Correios! O Museu Nacional Ferroviário tornou-se, recentemente, membro do Postcrossing, já tendo recebido e enviado inúmero … “

Interessante! Temos ponto de partida para mais um ponto de vista, e assim assinalar os 159 anos de caminhos de ferro em Portugal.

Se nos dias de hoje, desde que os passageiros passaram a clientes, para uma empresa como a CP já não é obrigatório, nem exigir que o seja, assinalar um dia que suporta a sua existência. Embora o faça e de forma elegante. Ou para o resultado da fusão EP e Refer, que até é mais cómodo ter uma Fundação que assuma e suporte a ilha cultural da ferrovia.

Já para uma instituição como a Fundação Museu Nacional Ferroviário, e Museu, com a aparente indiferença é caso para perguntar, o que é que andam a fazer?

Porque será difícil justificar omitir uma data que é matéria prima para um Museu Ferroviário, quando fica no ar que foi esquecida, ou pior, ostracizada. Qual o papel do Museu Nacional Ferroviário e da Fundação Museu Nacional Ferroviário neste enredo? Será que não tem obrigação de sublinhar o aniversário do Caminho de Ferro? Nós não conseguimos ver outra forma que passe por abdicar de o fazer, e faz-nos confusão esta leviandade. Até porque podiam copiar a CP para ficarem menos mal na fotografia. Imagem de área onde todos correm o risco de não ficar assim tão bem.

Era bom saber:

Sr. Jaime Ramos, presidente da Fundação, vogais da CP e IP, presidente da CM do Entroncamento, porque é quem se interessa por ferrovia não sabe pelo Museu que hoje o caminho de ferro em Portugal faz anos?

Direcção Geral, Srª  Maria José Teixeira, como é que não se assinala o aniversário da ferrovia se já existe uma área visitável no Museu?

Director do Museu quem é cortou a data das prioridades do Museu? Ah, ok o Museu não tem Director.

.

No sentido de não deixar de aproveitar a data para justificar ir ao encontro de quem gosta, se interessa, e pensa o caminho de ferro, fomos ao encontro de Manuel Tão, presidente da AMF. Aproveitamos lhe pedir para nos falar de um momento que considere singular neste 159 anos de caminhos de ferro em Portugal:

.

A webrails.tv não entende como é que se deita fora uma data singular, justificativa e valiosa, para a afirmação do Museu e da Ferrovia pelo menos uma vez por ano, e com argumento para o fazer. Não somos do contra porque sim. No entanto quando não temos matéria prima de qualidade para artigos não se pode fazer melhor. Porque o ideal seria:

” O MNF assinala os 159 anos de caminhos de ferro com as portas abertas à comunidade e algumas iniciativas.

Num ano cheio de dificuldades para a Instituição, o Museu não quis deixar de assinalar a efeméride ferroviária mais importante da História ferroviária portuguesa.

Assim, e para além da entrada gratuita no Museu, foram convidadas escolas da região de Santarém, e em parceria directa com a CP, através da estreita colaboração com a vogal daquela empresa no conselho de administração da Fundação, possibilitou a viagem de um grupo de crianças em comboio regional até ao Entroncamento.

De destacar ainda a colaboração com o Exercito numa exposição fotográfica temporária. Momentos do transporte ferroviário de tropas e equipamento por ferrovia enquadrados desde os primeiros anos do Séc. XX até aos nossos dias.  Produção conjunta entre Museu e militares que pode ser  visitada até dia 30 de Fevereiro.

Assinalar também o apoio, e envolvimento nas actividades, por parte dos vogais da Neopul, IP, CME, para o sucesso do dia de aniversário do caminho de ferro em Portugal. Numa postura que mostrou como vestem e porque vestem a camisola da Instituição.

A webrails.tv tentou entender se houve colaboração das associações para o esforço do MNF, mas até ao fecho não conseguiu apurar se, e como contribuíram, ou se pediram reserva na divulgação do apoio para delegar protagonismo no Museu. “

A Fundação Museu Nacional Ferroviário deve uma explicação no seu site ou no facebook para justificar a omissão. Mais ainda quando IP, e CP deixaram de o assumir o papel de promoção cultural da ferrovia com a justificação implícita, de que esse papel é da responsabilidade da FMNF e Museu Nacional Ferroviário.