free web
stats

IP é para “Testar”

IPgrandesnumerosPedro Marques confirmou que a fusão entre estradas e ferrovia na empresa Infraestruturas de Portugal (IP), iniciada pela anterior pasta do sector liderada por Sérgio Monteiro, deve continuar. Segundo o ministro das Infraestruturas e do Planeamento a solução é para testar com recurso à actual administração da empresa.

Em reunião sobre transportes que juntou na semana passada sindicatos e o ministro, contacto ferroviário presente no encontro confirmou o cenário. “A IP é para testar, este modelo é para testar. E quando questionado sobre se era para continuar com a actual equipa respondeu que sim, era para continuar”, adiantou sobre a intervenção do ministro Pedro Marques.

António Ramalho, e administração que lidera, vê assim um voto de confiança por parte do ministro para continuar a laborar. Embora com a recomendação que passe a ser mais contido na imprensa” sabe a webrails.tv. Neste contexto basta recordar o desmultiplicar de presenças em eventos e entrevistas já depois do Governo ter tomado posse.

Já para o processo de fusão, esta opção governativa, em particular na aposta pela continuidade do Conselho de Administração IP, é vista por parte de sindicatos como questionável. Do ponto de vista de um representante dos trabalhadores contactado a manutenção da administração poderá indicar a continuação “do que era a linha do anterior” Executivo.

Recorde-se que essa linha compreendia a abertura da IP a capitais privados, e alienação das áreas de comunicações e engenharia. No entanto, ligação próxima da empresa gestora não confirma que esse seja o caminho no novo ciclo. Refere que matérias relativas a processos de concessão e privatizações deverão apresentar-se em linha com as opções da Tutela.

Enquanto se espera para aferir o rumo, será de aguarda que contributo dará a IP à recomendação da elaboração de um Plano Nacional Ferroviário colocado pelo Parlamento ao actual Executivo.