free web
stats

Espanha prevê recuperar troço internacional da linha do Douro

douroInternacionalA Diputación de Salamanca, um organismo administrativo espanhol da província de Castela e Leão, prevê recuperar o troço  Fregeneda – Barca D’Alva, no troço internacional da linha do Douro, como atractivo turístico.

A intenção foi avançada no decorrer da 36ª edição da Feira Internacional de Turismo de Madrid (FITUR) que terminou este domingo. No stand de Salamanca, o presidente da Diputación de Salamanca Javier Iglesias, acompanhado do director regional de turismo de Castilla y León, Javier Ramírez, apresentou um projecto turístico que prevê a recuperação do troço entre La Fregeneda, em Las Arribes, e Barca D’Alva em Portugal.

Segundo o responsável, o dinamismo do projecto deverá trazer desenvolvimento através da criação de emprego e iniciativas empresariais, alocando mais turismo para a região.

Uma aposta que poderá resultar. Só no universo dos navios de cruzeiro do rio Douro, no lado português, existe um mercado viagens de luxo com números acima dos €5600 por pessoa. Oferta que não comporta só a viagem. Geralmente nestas propostas o pacote, para além dos atributos do segmento, associa vários parceiros para dinamizar o programa. Como visitas a quintas, igrejas, museus, worshops de artesanato, ou provas de vinho e gastronomia.

O exemplo, que deverá estar operacional em Abril, vem da australiana Scenic Luxuxry Cruises and Tours. A empresa opera cruzeiros de luxo na gama 5 estrelas para pessoas com elevado poder de compra. Mesmo sem ainda ter o navio hotel operacional no rio Douro, está a ser construído nos estaleiros de Viana do Castelo com data de entrega prevista para Março,  já tem a temporada de 2016 esgotada, e metade da oferta para 2017 preenchida.

No entanto, talvez o mais relevante na presença do operador no Douro, seja a empresa poder vir a deixar 1 milhão de euros na região por temporada. Segundo declarações recentes de  Maria Andrada, General Manager Scenic Portugal, entre compras e actividades contratadas ao longo do vale, a empresa espera deixar esse valor na economia local.

Sobre a reabilitação dos 17 km da ferrovia, o autarca espera que o concurso seja lançado em Março, podendo as obras arrancarem ainda este ano. A recuperação prevê intervenções nas estações, leito, pontes e túneis, num investimento de €800.000 adianta o noticiascastillayleon.com, que deverá permitir o usufruto em segurança dos turistas que explorarem a linha.

Recordar que o troço internacional da Linha do Douro, em ambos os lados, encontra-se encerrado desde a década de 80 Séc. XX. Por se enquadrar numa zona selvagem e de geografia complicada, que obrigou à construção de uma sequência de túneis e pontes, muitos sublinham a infraestrutura e enredo como de grande beleza.

Na procurar de valorizar nestas qualidades pode destacar-se a associação Tod@via. Ao longo dos anos tem defendido o regresso do comboio à linha, e a promoção da defesa da infraestrutura que se tem deteriorado desde o encerramento, em múltiplas acções de recuperação e limpeza de estações e leito da via.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.