free web
stats

CFM constroi habitações para funcionários

angolaMap_cfmO  Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM), no âmbito do seu programa de modernização, tem previsto construir cerca de 135  residências  ao longo da linha para os funcionários.

Falado ontém (25.03) em conferência de imprensa no Lubango, o presidente do Conselho da Administração do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Quipaxe, disse que as residências, do tipo T3, serão edificadas ao longo dos 900 quilómetros de linha do Namibe a Menongue. O projeto está contido no pacote do contrato de modernização das estruturas do CFM.

De acordo com o responsável, a intenção é criar melhores condições de vida para os quadros do CFM, e as suas famílias, que  irão trabalhar nas 56 estações construídas ao longo da linha. O projeto já se encontra aprovado, so faltando a verba ser disponibilizada para os trabalhos terem inicio.

O CFM está, também, a reabilitar algumas infraestruturas antigas que se encontram ao longo da linha férrea. Assim como substituir outras por novas, permitindo enquadrar os novos técnicos.

Relativamente as obras de conclusão das estações de segunda e de terceira classe, Daniel Quipaxe referiu faltarem 12 unidades de estacionamento e até Maio as obras estarão concluídas.

Lembrou que para a operacionalização do CFM estão disponíveis sete locomotivas, 87 vagões para transporte de carga diversa, cisternas para contentores, assim como 60 carruagens de várias classes com restaurantes para passageiros.

O processo de reabilitação do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, iniciado em 2005, viveu um interregno devido à crise financeira mundial e retomou em 2009. A circulação definitiva entre Namibe/Lubango e Menongue teve início a três de Setembro de 2012.