free web
stats

Comboios do Porto promovem eficiência energética

lousDN_04

img: Daniel Nogueira

Os maquinistas do Depósito de Tracção de São Bento, na CP Porto, encontram-se na primeira linha da eficiência energética, quer no uso de práticas comportamentais, quer através do sistema de apoio à condução que ajudaram a desenvolver.

A optimização resultou do envolvimento da CP Comboios de Portugal, EMEF e NomadTech, através da promoção de práticas de eficiência energética, por um lado. Por outro via desenvolvimento de um sistema dirigido aos maquinistas que apoia uma condução optimizada.

A eficiência energética nas marchas de 4 unidades da CP Porto, veículos onde a solução está instalada, surge através de um sistema de apoio à condução. Um tablet interage com um outro sistema informático já embarcado nas unidades. “Tenta-se optimizar o estilo de condução, aproximando-a de uma linha mais eficiente entre o consumo e a velocidade do comboio para atingir o que será melhor em termos de eficiência energética”, adianta contacto próximo do sistema. Valores de optimização que na região do Porto se firmaram entre os 7 e os 15%.

No entanto o sistema de apoio à condução surge como prolongamento de um processo mais longo. A necessidade de reduzir custos energéticos levou a CP Comboio de Portugal, e a participada EMEF, a procurar desenvolver soluções associadas à eficiência energética. Em 2009 iniciaram um processo que levou à monitorização de consumos dos comboios.

A aposta centrou-se na identificação de situações, na rotina da operação diária, onde fosse possível obter ganhos de eficiência energética. Por exemplo, no estado de parqueamento das unidades os consumos associados à iluminação e ar condicionado começaram a ser monitorizados. A recolha de dados permitiu trabalhar comportamentos e alcançar ganhos de eficiência energética. “É nessa primeira fase, apenas de monitorização de comportamentos, e evitando situações em que por exemplo a iluminação do comboio está toda ligada, ou o ar condicionado está todo ligado em situações de parqueamento, que começamos a introduzir essas alterações comportamentais e de monitorização, atingindo-se ganhos de eficiência energética que rondam os 10% do consumo”, explicou fonte próxima do processo.

Nesta fase, que iniciou a actual solução de eficiência energética, introduziu-se junto ao material embarcado um sistema informático. A instalação possibilitou aceder e analisar cada um dos sistemas do comboio remotamente. Posteriormente a presença desse equipamento permitiu desenvolver e implementar mais facilmente o sistema de apoio à condução.

Com a crescente preocupação pelas questões associadas à preservação do meio ambiente, a que a UIC têm associado o modo ferroviário, os maquinistas respondem ao que cada pessoa pode contribuir na redução do aumento da temperatura do planeta. E as empresas sector mostram argumentos de como o comboio é um meio de transporte amigo do ambiente, tal como a recente iniciativa “Train to Paris” pretendeu também demonstrar.