free web
stats

Linha do Sabor pode ser reaberta por 6.5 milhões de euros

img: Maria Lemos

img: Maria Lemos

O canal ferroviário da linha do Sabor, mais o prolongamento a Miranda do Douro, pode voltar a receber comboios por uma verba que ronda os 6.5 milhões de euros. Já em funcionamento o custo operacional anual rondaria os 625 mil euros ano, e a receita cerca de 1 milhão de euros. Os números são de Daniel Conde, e figuram no estudo onde retrata a reabertura da infraestrutura ferroviária transmontana do Sabor ao serviço da região.

De acordo com o estudo apresentado por Daniel Conde no lançamento de “A linha do Sabor – Um Caminho de Ferro raiano do Pocinho a Zamora”, a recuperação da linha de via estreita do Sabor, entre o Pocinho e Duas Igrejas mais o prolongamento a Miranda do Douro, tem um custo de 43 milhões de euros. Já com comboios e pronta a explorar, aponta, são mais dois milhões de euros. No entanto refere que o custo final fica pelos 8.5 milhões de euros. A suportar a diferença lembra o programa europeu Interreg como uma solução de financiamento. O apoio ao desenvolvimento regional pode chegar aos 85% do investimento a fundo perdido, refere. Relegando o valor da verba a alocar para o Estado, uma PPP, ou privado, para 15%, que estima nos referidos 8.5 milhões de euros.

Artigo completo de 515 palavras encontra-se disponível para subscritores.

O trabalho pesquisa elaborado pelo antigo quadro do Metro de Mirandela encontra-se publicado no livro “A linha do Sabor – Um Caminho de Ferro raiano do Pocinho a Zamora”. A apresentação do estudo fez parte do lançamento da edição que ocorreu na Casa de Trás os Montes e Alto Douro no passado dia 19 de Março.