free web
stats

Ministro da Cultura visitou Barreiro Ferroviário

img: CMB

img: CMB

O ministro da Cultura, João Soares, passou esta quarta-feira pelo Barreiro, na deslocação visitou vários locais do património ferroviário da localidade. A agenda ferroviária do responsável pela pasta da Cultura contemplou uma passagem pela Estação Ferroviária do Lavradio/Espaço L, na linha do Sado,  e à área do Parque Oficinal Sul da EMEF.

Na visita às infraestruturas e património ferroviário, João Soares, lembrou a importância de se preservar esse acervo. “O Barreiro tem um património único a nível industrial, talvez o mais importante do país, e também a nível ferroviário tem um património importante, que é preciso preservar. Tem de contornar a falta de recursos financeiros com imaginação e inteligência”, referiu.

Sobre o património ferroviário foi ainda possível ficar a saber que a Câmara Municipal do Barreiro tem intenção de dinamizar a antiga estação fluvial. “Estamos em contactos avançados com as Infraestruturas de Portugal em relação à antiga estação fluvial, de modo a que se avance para uma iniciativa em que se encontrem parceiros que possam dar utilidade ao espaço”, adiantou Carlos Humberto. E que a CP já acertou um encontro com a pasta da Cultura para inaugurar “um novo tipo de relação entre a CP e o Estado na área cultural. A CP já tem uma carga cultural muito grande na sua actividade”, revelou Manuel Queiró.

A acompanhar a visita do ministro da Cultura esteve uma comitiva constituída pela Directora Geral do Património Cultural, Paula Silva, agentes culturais, eleitos do Barreiro, Presidente da EMEF/CP, Manuel Queiró, e Comandante da Escola de Fuzileiros, Pacheco dos Santos.

A receção ocorreu no Espaço Memória, seguindo-se a passagem pelo Mausoléu Alfredo da Silva, a Estação Ferroviária do Lavradio/Espaço L, o Bairro Operário da CUF, a Avenida Bento Gonçalves, a Escola Conde Ferreira, passadiço de Alburrica, as instalações da EMEF e a ADAO – Associação de Artes e Ofícios do Barreiro, terminando no Auditório Municipal Augusto Cabrita.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.