free web
stats

Sector ferroviário movimenta-se

barreiroEMEFEmbora com devir próprio, mas na sequência da proposta de Arménio Carlos, secretário geral da CGTP, para uma semana de luta a dinamizar entre 16 e 20 de Maio, voltamos ao sector ferroviário e procuramos aferir movimentações laborais.

Já em movimento, por causa da EMEF, está uma acção do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF)  para dia 10 de Maio. O sindicato organizou uma concentração em frente ao ministério do Planeamento e Infraestruturas. Entre as reivindicações da ORT está a exigência de apresentação, por parte da Tutela, de um plano de desenvolvimento para a empresa que considera estratégica no sector. “Um plano de desenvolvimento desta empresa, de modo a garantir a sua capacidade de intervir na manutenção, reparação e conservação do actual material circulante da CP e outros operadores ferroviários e que possa também desenvolver a sua capacidade de construção/produção, de forma a responder às necessidades de material circulante em Portugal”, avançou o sindicato no contexto da EMEF.

A CP Carga, antiga empresa do grupo CP vendida à MSC, poderá também vir a ser palco da dinâmica laboral. Para o próximo dia 4 de Maio está agendada uma reunião entre representantes dos trabalhadores e administração, que poderá começar a endurecer a luta. É publico que nestes últimos tempos a falta de convergência tem existido. Algo que dependo do afastamento poderá ter reflexos no endurecimento da posição por parte dos sindicatos.

A IP também está na linha na dinâmica laboral. Embora a webrails.tv não tenha apurado nada de concreto ainda, sabe que existem movimentações. E embora o Futuro seja um Bom Lugar, cima  da mesa continuam a estar os efeitos da junção das duas empresas na vida dos trabalhadores.