free web
stats

Olhar de um Passageiro Norte dia 1

Img: Rafael Silva

Img: Rafael Silva

Após a última saga, a rota das cerejeiras em flor, era altura de voltar a meter-me num comboio e ir conhecer o meu país. Ora então que o feriado do 25 de Abril veio mesmo a calhar, e nada melhor do que um fim-de-semana “grande” para conhecer novas linhas. O itinerário foi planeado com uma viagem Lisboa-Braga na sexta ao fim do dia. O sábado seria passado em Braga até ao meio da tarde, de onde ia para o Porto. No domingo rumava a Guimarães, com regresso ao fim do dia, e a segunda-feira seria para aproveitar o dia no Porto.

Agora vou contar a minha aventura, por dias, para que aqueles que quiserem reproduzir já num fim-de-semana próximo, possam levar uma base da minha experiência, que digo, com toda a certeza, que vale a pena e que repetia sem dúvida alguma.

Escolhi o comboio Intercidades 723 para me deslocar até Braga. Podia ter ido no Alfa das 19:00 mas o meu gosto pessoal pelas composições traccionadas por locomotivas falou mais alto e daí resultou a minha escolha numa viagem de quatro horas. O comboio ia grande e bem composto, levava nove carruagens, embora duas das quais que circulavam na retaguarda da composição ficassem no Porto, seguindo para Braga sete carruagens, que seria o comboio inicialmente previsto.

bragaStation

Img: Rafael Silva

Arrancamos de Santa Apolónia a horas e no Oriente, com a quantidade de pessoas a entrar naquela estação, já saímos com quatro minutos de atraso. Nada que o comboio não recuperasse. Ao longo do caminho fomos parando em Vila Franca de Xira, Santarém, Entroncamento, Pombal, Coimbra-B, Mealhada e Aveiro. Nesta estação foi onde começaram a desembarcar mais passageiros e, a pouco e pouco, entre Estarreja, Espinho e Gaia, a minha carruagem foi ficando vazia. Na chegada ao Porto, e com a longa paragem, só já arrancamos cerca das 23:01, quando a partida estava marcada para a 22:46. Na carruagem seguiam apenas pouco mais que uma dúzia de pessoas, e muitas delas dormiam com o embalo do comboio. Famalicão e Nine se passaram antes de entrar no Ramal de Braga, onde a viagem tinha o seu término. Na chegada a Braga as 23:40, com 15 minutos de atraso, havia muitas pessoas na estação à espera de familiares que agora chegavam à cidade. Na estação já lá estava o CPA 4007, e agora chegara a 5607. Locomotiva e automotora também iriam pernoitar por ali.

Deixei a estação e desloquei-me ao Basic Braga by Axis, onde eu iria passar a noite. Após o check-in, desloquei-me ao quarto. Era o 604 no último andar e dava para ver a linha 1 e 2 da estação.

Agora era altura de descansar pois a viagem foi longa e ao fim do dia, para muitos ainda foi pior. Amanhã e no próximo texto, é dia de visitar Braga e ficar a conhecer a Linha de Braga.