free web
stats

Takargo optimiza tráfego de Jet Fuel

img: Luis Zamora

img: Luis Zamora

O transporte de Jet Fuel da Takargo entre Sines e Loulé passou para 28 cisternas e aumentou o volume de litros por composição. O incremento foi negociado com a Infraestruturas de Portugal (IP) e permitiu ao operador potenciar o transporte nos meses de maior procura de combustível.

A empresa do Grupo Mota-Engil iniciou o tráfego de Jet Fuel em Fevereiro com 14 vagões e 27 cisternas, e a tabela de carga máxima no troço Sines-Loulé de 1040 toneladas. No entanto o operador está autorizado desde Maio a circular no troço com a carga máxima nas 28 cisternas até 1063 toneladas.

Em Abril os comboios passaram a circular com 28 cisternas. A capacidade total aumentou para 808 mil litros, valor máximo permitido pelas tabelas de carga no troço Sines-Loulé”, que era então de 1040 t, adianta fonte próxima da Takargo.

A hipótese de rentabilizar os meios surgiu depois de reuniões com o gestor de infraestruturas. “Foi trabalhada junto da Infraestruturas de Portugal a revisão das tabelas de carga máxima permitida no Sines-Loulé, cujo resultado culminou no aumento de carga máxima permitida no troço para 1063 t”, explicou.

A alteração permite ao operador transportar 832.330 litros por comboio desde o mês de Maio. São mais 46.33o litros face à capacidade inicial da operação registada em Fevereiro.  No entanto, adianta, a alteração fica condicionada à avaliação do estado da via ao final da  IP ao ano de operação.