free web
stats

“Suíças” em via de regressar ao activo no Douro?

img: Nuno Morão

img: Nuno Morão

As antigas carruagens Schindler conhecidas por “Suíças” podem estar em vias de voltar a circular na linha do Douro para o serviço de cruzeiros. A CP Comboios de Portugal e 3 operadores turísticos – Barcadouro, Rota do Douro e Tomaz do Douro – assinam segunda-feira na Régua um acordo para a ferrovia complementar a oferta marítima no rio Douro.

A agência Lusa refere que vai ser assinado um acordo onde o operador ferroviário se compromete a realizar, entre o Porto e a Régua, de 01 de Maio e 31 de Outubro, dois comboios diários dedicados exclusivamente ao turismo de cruzeiros. Dependendo da procura a capacidade da composição pode ser ajustada e chegar aos 600 lugares sentados, adianta.

O comboio sai da estação de São Bento às 8:25, e tem hora prevista de chegada à estação da Régua às 10:25. No sentido inverso, a viagem tem início às 17:15, para estar no Porto às 19:10.

Sobre o material circulante, máquina e carruagens, reservado para a operação, o artigo com fonte CP nada adianta. Na nossa pesquisa questionada o operador histórico não obtivemos resposta.

No entanto, ao nível do material circulante, para a temporada o concurso da série 1400 está garantido, isto se não tiver de alugar material à Medway. Depois da venda da CP Carga a série de locomotivas é o único material diesel tracção disponível, restam 6 unidades operacionais na CP. Sendo que nem todas estão aptas para comboios de máquina e carruagens.

Já sobre o parque de carruagens, e uma vez que a flexibilidade de rotação actual de sorefames renovadas e corail não se faz sem ruido, as carruagens Schindler devem ser a solução na calha. Isto se a entrada do material em reserva operacional em oficina para reabilitação se confirmar. Colocada recentemente a questão sobre como estava o processo de oferta de 410 lugares, nomeadamente qual era o calendário de regresso ao serviço das carruagens, fonte oficial da CP disse que não havia nada a dizer sobre esse assunto.

No entanto, sendo este o caminho, destacam-se para já dois pontos. Faltam 190 lugares sentados às schindler avançada noticia, e tornar este comboio polivalente para o colocar a realizar serviço comercial no transporte regular de passageiros e como comboio turístico em completo ao comboio a vapor, não será tarefa fácil.

Relembrar que esta história começa no verão de 2016 quando os operadores Barcadouro, Rota do Douro e Tomaz do Douro, decidiram substituir a utilização do serviço regular de passageiros regional e inter regional da CP da linha do Douro por autocarros como meio de transporte complementar ao barco. Acusavam a CP de prestar mau serviço, por a oferta regular não ser solução, e por não conseguir apresentar uma oferta extra a essas ligações.

Com a presença do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que preside à cerimónia de assinatura do Protocolo de Cooperação entre a CP e operadores turísticos fluviais do Douro, confirma-se a intenção de colocar o fluxo dos barcos do Douro na ferrovia. De acordo com a Lusa, entre 20 de Agosto e 9 de Outubro de 2016, derivado à opção a CP não transportou cerca de 30 mil turistas.

Confirmado-se o compromisso resta saber se a intenção vai revelar qual o material circulante disponível para o serviço da futura operação.