free web
stats

Olhar de um Passageiro Intra-Rail Dia 1

img: Rafael Silva

img: Rafael Silva

Sexta-Feira! De regresso aos carris. Mais uma viagem. Desta vez, apresenta-se através de uma modalidade diferente, uma estreia. Hoje vou realizar um programa da CP em conjunto com as pousadas da juventude que se apelida de Intra-Rail. Para quem não conhece este programa está disponível para os jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos. O valor varia consoante a modalidade. Varia entre excape e explore. O Programa explore varia entre 127€ e 146€, e tem a duração de 7 dias e 6 noites. Os preços diferem porque o valor mais barato aplica-se a quem tem o cartão jovem. No meu caso, optei pela modalidade excape, que tem a duração de 3 dias e 2 noites e é uma opção excelente para jovens que queiram se divertir durante um fim-de-semana. O preço é de 58€ ou 64€.

Agora vamos ao que interessa, a primeira de três partes de viagem. Como tem vindo a ser normal, as minhas viagens começam todas da parte da tarde. Desta vez, não iria ser exceção. Tudo começa na Póvoa de Santa Iria, onde apanhei a minha companheira de vida, para ela sim, uma novidade andar no maluco mundo dos comboios que eu tanto adoro. A primeira paragem é óbvia, tinha de ser Lisboa Santa Apolónia.

Cheguei bastante cedo, mais de uma hora antes do comboio para cima. Aproveitei o pingo doce para fazer umas compras. Um lanchinho é sempre bem-vindo e foi no Stop Café da estação que nos sentamos a lanchar. Vendo bem, por mais rápida que seja a viagem ainda são 3 horas até Campanhã!

621! Foi este o comboio escolhido para o dia de hoje. O desdobramento não foi realizado o que obrigou este comboio a seguir com 8 carruagens e com a 5602. Bonita pela sua fantástica publicidade à Linha do Oeste. Segui na carruagem 21. Curioso ou não, fazia já 8 anos que não circulava na carruagem 21 de uma composição IC. Quererá isto diz-me algo? Vendo bem as minhas primeiras grandes viagens foram sempre ligadas às carruagens 21 de cada comboio. 17:30 Marca a partida. Poucos passageiros embarcaram em Santa Apolónia. Já o mesmo não se pode dizer do Oriente. Na minha carruagem, acredito que nem meia dúzia de lugares teriam ficado vazios. O comboio seguiu sempre à tabela. Parou em Vila Franca, Santarém e Entroncamento. Nesta ultima, é sempre triste ver a quantidade de comboios que por ali estão, à espera que um dia o tempo os leve…

De volta a viagem e em Caxarias o tempo começa a mudar. Foi aqui que começaram os atrasos. Uma forte chuvada e obras na linha, penso que tenha sido o segundo motivo, levaram a que o comboio fosse em marcha lenta até a estação de Alfarelos. Em Coimbra-B, a chuva não dava tréguas e o atraso já era de 8 minutos. Os passageiros corriam para embarcar, mas acabaram muitos deles por apanhar uma valente molha até ocuparem os seus lugares. Prosseguimos viagem.

Nada mais se alterou e com 8 minutos de atraso, o comboio entrou na linha 4 da estação de Porto Campanhã. Fui dos primeiros a sair. Tinha pouco tempo. Desta vez, não apanhei a tradicional ligação a São Bento. Sai da estação e dirigi-me a paragem do 207. Ia para a pousada da juventude do Porto e esta era bastante longe do centro. Aproveitei este carro que passava lá mesmo a porta. A viagem demonstrou-se grande, e de noite, cansativa. Já não se via nada por onde passávamos e a volta tornou-se ainda maior. Quase meia hora depois, chegamos à porta. Hora de fazer check-in.

Já no quarto pude relaxar um pouco. Fui à janela ver como era a minha vista para o rio. Mostrou-se bastante bonita e neste momento a chuva deu tréguas. Eram horas de jantar qualquer coisa. Vendo bem, já são 22 horas e o lanche foi as 16.

Após o jantar eram horas de descansar. A aventura de amanhã será das melhores. Iremos rumar a uma das viagens mais bonitas do caminho-de-ferro português. A linha do Douro. Da parte da manhã ficaremos pela Régua. De tarde, completaremos o percurso até ao seu término. O Pocinho!