free web
stats

CE disponível para estudar oferta de Interrail aos 18 anos

interRail2.jpgO Parlamento Europeu discutiu esta terça-feira com comissária europeia dos Transportes e Mobilidade, uma ideia que prevê oferecer um Interrail no 18º aniversário dos jovens europeus. No final do debate Violeta Bulc,  referiu que a Comissão Europeia (CE) está disposta a estudar as implicações da medida, mas sem qualquer compromisso.

No dia em que o Interrail comemorou o 18º aniversário, foi discutido no Parlamento Europeu uma ideia que defende que a Comissão Europeia deve oferecer um bilhete de comboio gratuito aos jovens por ocasião do 18º aniversário. O bilhete servirá para viajarde comboio pela Europa, e promover o sentimento europeu.

A ideia está agora nas mãos da Comissão Europeia, a quem compete ter a iniciativa legislativa, mas que poderá dar ou não seguimento à ideia. Uma vez que tem custos, será necessário chegar a acordo com os operadores, parecer negativo da Autoridade da Concorrência, e os Estados europeus representados na CE podem não aprovar a medida.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.

No debate, em defesa da medida «Passe Interrail para a Europa aos 18 anos», Manfred Weber, o proponente, disse que esta “será uma maneira de chegar aos jovens”, e “ganhar os mais novos para o projecto europeu”. A possibilidade de viajar, conhecer pessoas e lugares, é denominador comum para estimular um sentimento europeu, em particular nos mais novos.

Uma posição secundada pelo eurodeputado português José Manuel Fernandes: “Esta é uma oportunidade para os jovens reforçarem o contacto entre as diferentes culturas e para melhor compreenderem a realidade europeia. Facilita a integração, a inclusão e ajuda à emancipação dos jovens. A mobilidade ajuda também à economia e permite aprofundar o sentimento de pertença a este espaço comum”.

Mas além ser apontado como um factor de coesão, o debate lembrou que este tem de ser um projecto financiado, e ter orçamento. A uma das intervenções lembrou que a alocação verbas não é um detalhe. A existência de um bilhete oferta, foi referido, não poderá por em causa programas que têm o mesmo fim. Em particular quando programas jovem como o Erasmus, e Eramus+, já andam abaixo da dotação que seria normal.

Mas houve mesmo quem tivesse apelida-se a ideia de “maçã podre”, em claro desacordo com o recuperar da ideia por parte do Parlamento. Uma vez que a proposta já tinha sido avançada pelos Verdes europeus, um inglês disse: “foram ao cesto dos papeis e foram buscar esta maçã podre”. Lembrando o custo da medida, que avaliou em 1.9 milhões de euros ano se o bilhete tivesse o custo de 300 euros.

Com o final do debate Violeta Bulc mostrou que a Comissão não se opõe à proposta, e prometeu estudar o assunto com o Parlamento, mas lembrou que não se devem criar expectativas. “Se seguirmos por este caminho não podemos por  em perigo outros instrumentos já existentes”, destacou.

Depois deste debate cabe agora à Comissão Europeia decidir se apresenta, ou não, uma proposta para que este plano se concretize. Se tudo correr bem, caso exista sinal verde, o «Passe Interrail para a Europa aos 18 anos» não estará operacional em menos de 1 ano.

Criado em 1972 o bilhete Interrail permite viajar de comboio por 30 países da Europa por um período que, na actualidade, pode ir de cinco a 30 dias. O preço varia entre 200 e 480 euros.