free web
stats

Guerra e Caminho de ferro em destaque no Porto

Chegada ao cais de Alcântara de um transporte de tropas. Joshua Benoliel, Ilustração Portuguesa, série II, nº. 577, Lisboa, 12 de Março de 1917, p. 214.

Chegada ao cais de Alcântara de um transporte de tropas. Joshua Benoliel, Ilustração Portuguesa, série II, nº. 577, Lisboa, 12 de Março de 1917, p. 214.

Esta quarta-feira o Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) acolhe o Colóquio “OS CAMINHOS-DE-FERRO E A GUERRA”. O evento assinala os 100 anos da entrada de Portugal na Grande Guerra, o centenário da Estação de S. Bento, e os 160 anos dos Caminhos-de-Ferro em Portugal.

O Colóquio “OS CAMINHOS-DE-FERRO E A GUERRA”, programado para ocupar todo o dia 14, divide-se em quatro partes. A primeira parte destina-se à abertura do evento e intervenções institucionais. As partes 2 e 3 ao desenvolvimento do tema “OS CAMINHOS-DE-FERRO E A GUERRA”. O encerramento e visita ao Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto, encerra o encontro na 4ª parte.

“A evolução dos Caminhos-de-Ferro em Portugal e Perspectiva Futura”, e o tema título “Os Caminhos-de-Ferro e a Guerra”, iniciam o primeiro painel da Conferência. O Engenheiro Ângelo Jacob, professor adjunto no Departamento de Engenharia Civil do ISEP, e o Tenente-coronel de Engenharia Leonel Martins, professor no Instituto Universitário Militar, respectivamente, lançam a temática antes do almoço.  A sessão é moderada pelo Major-General Aníbal Alves Flambó, Director da Direcção de História e Cultura Militar.

A tarde abre com a 3ª parte. “A Estação Central do Porto – São Bento”, pelo Arquitecto Nuno Jennings Tasso de Sousa, da Fundação Marques da Silva, inicia o painel. Segue-se “A Transformação da Cidade do Porto com o Comboio” pelo Mestre Joel Cleto, historiador da cidade do Porto. “A acção do Batalhão de Sapadores de Caminhos-de-Ferro, na Flandres”, pelo Coronel de Engenharia José Berger, do Gabinete de Estudos Arqueológicos da Engenharia Militar, encerra as propostas de leitura “OS CAMINHOS-DE-FERRO E A GUERRA”. Modera o painel o Engenheiro Luís Francisco Valente de Oliveira.

A iniciativa termina com uma visita ao Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto.

Na abertura estão previstas intervenções do Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, do Presidente da Comissão Coordenadora da Evocação do Centenário da I Guerra Mundial, e dos Presidentes da Infraestruturas de Portugal, e CP – Comboios de Portugal. Ao final da tarde, o Ministro da Defesa Nacional encerra a sessão.

O Colóquio “OS CAMINHOS-DE-FERRO E A GUERRA” resulta da colaboração entre o Exército Português, o Instituto Superior de Engenharia do Porto, a CP – Comboios de Portugal e a Infraestruturas de Portugal.