free web
stats

CP coloca-se ao lado das ORT’s na revisão de novo regulamento

O Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) desconvocou esta segunda-feira o pré-aviso de Greve para os dias 20 e 21 deste mês. Na base da decisão está a disponibilidade do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) em rever o novo regulamento de segurança, informou fonte próxima do processo.

No entanto a nossa Plataforma apurou que a CP Comboios de Portugal também assumiu posição. O operador ferroviário publico, parceiro do IMT na elaboração e implementação de nova regulamentação no sector, adiantou que se coloca ao lado das ORT’s, e vai apoiar a redacção actual do Regulamento.

Em nota aos trabalhadores da carreira comercial Manuel Queiró, presidente da CP, garantiu que o debate com o IMT vai agora prosseguir com a CP a colocar o seu peso ao lado dos trabalhadores e dos seus representantes, apurou a nossa plataforma.

O gestor refere, em documento que tivemos acesso, que a empresa vai assegurar “por via dos seus próprios regulamentos internos, a indispensabilidade dos revisores com as funções que actualmente desempenham”. Por outro, adianta que como as garantias internas podem não ser entendidas como suficientes a longo prazo, informa que “fez sentir a sua posição junto do Governo e do IMT, pressionando para que a proposta do IMT fosse revista, de forma a manter a redacção actual”.

Manuel Queiró informou ainda que a entrada em vigor do novo Regulamento sofreu um adiamento por três meses. “Na sequência do pedido de uma ORT, a CP conseguiu do IMT e do Governo um adiamento significativo da entrada em vigor do novo Regulamento por 3 meses. Este período será aproveitado para debater mais aprofundadamente, com o IMT e com a participação dos sindicatos, todas as propostas de alteração, a fim de assegurar o máximo consenso e tranquilidade à volta do texto final”.

Recorde-se que derivado à possibilidade de implementação de agente único nos comboios de passageiros o SFRCI lançou um pré aviso de greve para os dias 21 e 22 deste mês, a intenção caiu esta segunda-feira.

Em cima da mesa está uma proposta que possibilita a implementação de agente único. Por outro o operador publico reconhece que o novo regime tem “implicações na vida futura da categoria profissional dos operadores de revisão e venda”.

Entretanto SFRCI e IMT já se reuniram. Fonte próxima do processo refere que chegaram à conclusão que existem questões em aberto e por isso vai haver “uma revisão do regulamento” de forma a preservar a segurança das circulações.