free web
stats

Regulamentação de Segurança: Auditório cheio para enquadrar novo ciclo

rgs-iEsta terça-feira foram poucas as cadeiras disponíveis no auditório do Novo Banco para ouvir os intervenientes do Seminário “Regulamentação de Segurança – Nova Organização e Novos Desafios”. O evento foi organizado pela Fernave e abordou as alterações previstas para a  Regulamentação de Segurança do sector ferroviário.

Com a reestruturação parte das responsabilidades de segurança da operação ferroviária passam para as companhias. Trata-se transpor o quadro normativo europeu explicou o IMT, mas fonte ferroviária associativa não se revê no delegar das responsabilidades e lembra o cenário inglês da liberalização ferroviária efectuada no tempo de Margaret Thatcher.

.

No final do Seminário “Regulamentação de Segurança – Nova Organização e Novos Desafios” falamos com Martins de Brito, moderador da Sessão. O antigo presidente da CP enquadrou a oportunidade do encontro numa perspectiva onde o problema da segurança é um problema central da actividade ferroviária.

O engenheiro Ernesto Martins de Brito presidiu o Conselho de Administração da CP entre 2003 e 2004.

.

Artigo completo, 932 palavras, encontra-se disponível para subscritores.

A emprestar dimensão ao tema, numa sala cheia, estiveram da parte do IMT Paulo Taveira, IP Agostinho Pereira, CP Comboios de Portugal José Lima, MEDWAY Carlos Rodrigues, Takargo Susete Romão e José Oliveira da Fertagus. Martins de Brito, antigo presidente da CP, moderou a sessão.