free web
stats

Política Anti-Suborno MSC ao critério do trabalhador

medwayO documento que circula na MEDWAY sobre a Política Anti-Corrupção do Grupo MSC não é de adesão obrigatória. Nota da administração adianta que não há nem nunca houve qualquer obrigação.

“Gostaria ainda de vos esclarecer que não existe, nem nunca houve, qualquer obrigatoriedade em assinar o documento distribuído. Essa decisão foi deixada à vossa consideração”, pode ler-se no comunicado do Conselho de Administração afixada nos placards presentes nos Centros de Trabalho da MEDWAY, e dirigido aos trabalhadores da ferrovia.

Recorde-se que a empresa integra o operador global MSC presente em várias latitudes. A verticalidade do Grupo enquanto armador e prestador de serviços na cadeia logística, e o contacto com várias culturas e realidades, remete para o interesse numa postura normalizada de empresa face a comportamento e postura. A Política Anti-suborno da MSC Mediterranean Shipping Company SA coloca-se nesse contexto.

Pode ainda ler-se no comunicado que a sua divulgação procura esclarecer “quaisquer dúvidas, equívocos ou mal-entendidos”, que subsistam sobre a Política de conduta MSC junto dos colaboradores.

“Trata-se de uma Política global do grupo MSC cujo objectivo é tão simplesmente garantir a correcta condução do nosso negócio, respeitando a legislação anti-corrupcção aplicável à nossa actividade em todo mundo. Não tenho qualquer dúvida que todos, mas todos, sem qualquer excepção, partilham dos princípios da mesma política e a querem ver confirmada na empresa”, clarifica, e por isso é solicitada a analise do tema “com a importância devida”.

Embora solidária na posição contra práticas ilícitas, a FECTRANS também avançou em comunicado uma posição. Desaconselhou os trabalhadores a rubricar o documento por não estarem a responder perante a MEDWAY, e depois porque não vê como os ferroviários podem ter acesso a práticas ilícitas na sua posição e trabalho. Recomendado antes para tais práticas medidas concretas que penalizem os eventuais corruptos.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.

O comunicado é dirigido aos trabalhadores e assume posição face a reacções externas relativas à Política Anti-Suborno. Referindo ainda que a empresa está conscientes de algum incómodo que se tem gerado entre alguns colaboradores por causa desta Política.