free web
stats

Takargo inicia transporte ibérico de veículos

takargoSiteA Takargo prevê iniciar esta quarta-feira o transporte ibérico de automóveis. No serviço o operador ferroviário de mercadorias liga a cidade espanhola de Valladolid ao Vale da Rosa, na região de Setúbal.

A frequência não será regular, dependerá do cliente, apurou a nossa redacção. Neste momento, em cima da mesa, está uma circulação por semana, mas que poderá passar a quinzenal ou mensal, dependendo do que for solicitado em Espanha.

A Pecovasa fornece o material circulante a usar no transporte dos automóveis.

Colocada a questão junto do IMT sobre que vagões poderiam estar em processo de homologação para a produção deste transporte, o organismo informou que, “pelo facto de cumprirem determinados acordos internacionais, designadamente os RIV (Regulamento Internacional de Vagões) não requerem uma autorização formal do IMT para circularem na rede ferroviária”. Nesse sentido deu conta que “não existe na presente data qualquer processo em curso para a autorização de entrada em serviço de vagões para transporte de automóveis”.

O comboio produzido pela Ibercargo deverá rondar os 500m, e ter tracção assegurada por Takargo e Comsa, com tripulação portuguesa em território nacional.

A saída de Espanha deverá confirmar-se esta quarta-feira, para quinta estar em Setúbal, Vale da Rosa. Contacto com a Autoridade Portuária sadina não confirmou tratarem-se de veículos para exportação por via marítima. Não havendo conhecimento, este transporte de veículos desde Valladolid, deverá ser para disseminação nacional.

No entanto, o facto do porto sadino ser uma referência no embarque de viaturas, lembra que o modo ferroviário pode ter a porta aberta dentro do segmento a novas oportunidades na região.

A Autoeuropa assegurou a produção de um novo modelo da Volkswagen para Palmela. A  montagem T-Roc, o novo SUV citadino da marca alemã,  deverá atingir no final de 2018 as 200 mil unidades, contra as 90 mil actuais.

No cenário actual, como num cenário futuro, o Terminal Ro/Ro do porto de Setúbal apresenta-se como porta de saída para as unidades destinadas à exportação. Já o transporte entre a fabrica de Palmela e o terminal portuário, actualmente assegurado por rodovia, já contou com o concurso da ferrovia.

Depois do transporte de Jet Fuel, contentores, e já este ano bobines, o operador ferroviário do grupo Mota-Engil acrescenta ao portefólio da empresa o transporte de automóveis.