free web
stats

Azulejos dos painéis de Contumil restaurados

azulejoscontumil_730x400

img: IP

O Centro Operacional de Manutenção Norte – Especialidade de Edificações da Direcção de Gestão da Rede Ferroviária da Infraestruturas de Portugal (IP) concluiu uma intervenção de conservação e restauro dos painéis azulejares da Estação de Contumil.

A intervenção, realizada com meios internos da IP, demorou cerca de um mês e dividiu-se em várias etapas. Na base esteve a “crescente aceleração da degradação” dos azulejos dos painéis.

“Os trabalhos consistiram, numa primeira fase, no registo e mapeamento gráfico, de modo a apurar quantidades por cada tipo de azulejo. Identificados os azulejos, recorreu-se ao depósito de reserva (azulejos sobrantes da construção da estação) para efectuar uma triagem. Os azulejos empolados e fragmentos de azulejos fracturados por tentativa de furto ou vandalismo foram removidos”, refere a IP.

Após a identificação e tratamento, a terceira fase, cerca de 2 dias, consistiu no assentamento dos azulejos. A única parte do processo de conservação e restauro assegurado por trabalho externo.

Os “painéis encontravam-se afectados por três patologias: lacuna por furto ou queda, linhas de fartura/fissura e empolamento, situação que colocava alguns dos azulejos em risco iminente de queda”, explica a IP.

Sobre o património azulejar, que tem na base um desenho de 1966, a IP adianta: “Estação Ferroviária de Contumil possui 130 painéis azulejares, da autoria de Eduardo Nery. Os painéis datam de 1993/94 e são constituídos por azulejo padrão de combinações múltiplas, com base em 65 desenhos diferentes. O facto de não existir repetição permite uma afinidade de painel para painel, evitando mudanças radicais de composição ou escala visual, factor preponderante para a leitura de conjunto para quem viaja no comboio (rápida percepção e movimento”).

De acordo com a IP no conjunto destaca-se ainda a combinação de três cores usadas. “O uso destas cores permitiu criar barras verticais, sem alteração de desenho, o que ajuda na projeção dos painéis, garantindo visões distintas, independentemente da distância”.

Os painéis azulejares e o trabalho de conservação e restauro pode ser apreciado na estação de entroncamento das Linhas de Leixões e Minho.

A intervenção esteve a cargo do Centro Operacional de Manutenção Norte – Especialidade de Edificações da Direção de Gestão da Rede Ferroviária e visou a preservação e salvaguarda do conjunto azulejar, contribuindo para a qualificação e valorização deste importante património da Infraestruturas de Portugal.