free web
stats

Intervenção Valadares e Gaia apresentada esta quarta

A Infraestruturas de Portugal (IP) apresentou esta quarta-feira na estação de General Torres, linha do Norte, as intervenções a executar no âmbito da Modernização do Troço Ovar-Gaia, e melhoria das acessibilidades pedonais à estação.

Dentro dos 28,6 km inseridos no projecto de Modernização do Troço Ovar-Gaia, encontram-se a concurso desde o passado dia 7 de Abril a “Renovação da superestrutura de via entre Valadares e Gaia, nas vias A e D”. Trata-se de um sub-troço de 4,3km, via dupla, da primeira fase do projecto. A apresentação de propostas termina a 3 de Maio e tem como preço base 4,7 ME + 800 000 euros (materiais a fornecer pela IP).

De acordo com “Intervenções no Troço Ovar/Gaia na Linha do Norte”, apresentado pelo Vice-Presidente do Conselho de Administração da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes, na cerimónia, a empreitada 4,3km entre Valadares e Gaia compreende:

*Desguarnecimento mecânico descontinuo sem depuração do balastro a uma profundidade de 0,35 m abaixo da base da travessa;
*Melhoria na drenagem e da plataforma;
*Fornecimento e aplicação de balastro granítico;
*Substituição das travessas de madeira existentes por travessas em betão bibloco (TBBG-01);
*Substituição do carril existente 54kg/m por carril novo de 60kg/m;
*Ataque mecânico pesado final com estabilização dinâmica.

A consignação da empreitada no sub-troço Valadares-Gaia está prevista para Agosto e a conclusão da obra é apontada no cronograma para Abril de 2018.

Troço Ovar-Gaia

A intervenção nos 28,6km do Troço Ovar-Gaia foi dividida em 2 secções, Ovar-Espinho e Espinho-Gaia. Na base da opção estão razões operacionais, adianta a IP.

O troço Espinho-Gaia deverá ser o primeiro a estar concluído. A apresentação definiu o final de 2019. Já o Ovar-Espinho deverá arrancar em 2019 e estar pronto em 2021. O custo final ronda os 147ME, 105ME financiados com recurso a fundos europeus.

O projecto prevê alterações de layouts de via, nas estações de Ovar, Esmoriz, Granja e Vila Nova de Gaia, e a construção de 4 vias de resguardo, com 750 m de comprimento útil, para comboios de mercadorias.

A circulação de comboios acima dos 160 km/h em segurança está prevista com a construção de passagens desniveladas para supressão de passagens de nível e passagens.

Assinatura do Acordo de Cooperação para a melhoria das acessibilidades pedonais à Estação de General Torres

Ainda no mesmo programa a cerimónia que marcou a intenção de melhorar a mobilidade numa zona central de Vila Nova de Gaia decorreu na Estação de General Torres. O espaço foi palco da assinatura do Acordo de Cooperação para Intervenção na Estação Ferroviária de General Torres, que junta C.M. de Vila Nova de Gaia, o Metro do Porto e  Infraestruturas de Portugal na execução do projecto.

Com a assinatura as entidades procederam ao lançamento do concurso público “com vista à empreitada de construção de escadas metálicas e elevadores na ligação da Estação Ferroviária General Torres ao Metro e Autocarros na Av. Da República”.

O obra apresenta um custo de 435 mil euros, e deverá garantir acessos pedonais mais cómodos e seguros aos passageiros que recorrem ao espaço ferroviário para se deslocarem.

A obra deverá ainda responder às necessidades das pessoas com mobilidade condicionada e melhorar o interface das Estações de General Torres da Linha do Norte e da Linha Amarela do Metro do Porto.

Além do Carlos Fernandes, intervieram na cerimónia “Modernização do Troço Ovar-Gaia na Linha do Norte e Assinatura do Acordo de Cooperação para a melhoria das acessibilidades pedonais à Estação de General Torres” o Presidente do Metro do Porto, Jorge Moreno Delgado, e o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues. O ministro Pedro Marques também esteve presente, e fechou a sessão

Linha do Norte – Troço Ovar-Gaia – Alguns números

Entre Ovar e Vila Nova de Gaia circulam diariamente 190 comboios. No longo curso 36, 22 no serviço Alfa e 14 no serviço IC. Urbanos 118, regionais 4, e 32 mercadorias.