free web
stats

Encontro de Módulos CIM-H0 Primavera 2017 (#4)

O Museu Nacional Ferroviário (MNF) é o anfitrião do próximo Encontro de Módulos da Primavera do Clube Ibérico de Módulos H0 (CIMH0), como a WebRails.tv têm vindo a noticiar com vários apontamentos semanais (aqui #1, #2 e #3). Esta semana, entrevistamos Ana Fontes, Directora do MNF, (cartaz do MNF no final do artigo) e a sua visão sobre o modelismo ferroviário na perspectiva de um museu. Chamamos também a atenção para a possibilidade de a deslocação a este grande evento se poder fazer com grandes descontos em viagem de comboio, conforme artigo já publicado na WebRails.tv (aqui).

WebRails.tv: Desde a reabertura do MNF, após renovação há 2 anos atrás, O MNF tem aparecido com algum destaque na vida cultural portuguesa e no meio associativo do mundo ferroviário. Quais foram as principais mudanças?

Ana Fontes - Directora do MNF

Ana Fontes – Directora do MNF

Ana Fontes: A inauguração do MNF (e consequente disponibilização física deste vasto e riquíssimo espólio) foi, naturalmente, fundamental para que os diferentes públicos o pudessem conhecer e com ele se relacionar de uma forma directa. Neste sentido, o trabalho que temos vindo a desenvolver desde esse momento, tem como ponto de partida o feedback e as expectativas que estes visitantes nos transmitem, sem nunca esquecer a experiência colhida e partilhada com outros museus e demais parceiros que têm aderido de forma entusiástica a este projecto nos últimos dois anos.

WR: Em termos de cooperação com outros actores do mundo ferroviário, como é que estes podem colaborar com o MNF?

AF: Um dos nossos principais objectivos é que o MNF se assuma não só como a entidade que perpetua a memória histórica do caminho-de-ferro nacional para as gerações futuras, mas também como pólo plural e agregador, que abre as portas ao debate multidisciplinar e promove a reflexão sobre o passado, presente e futuro dos inúmeros temas que se cruzam com o universo ferroviário. Neste contexto, as entidades, empresas e players do sector, para além de essenciais para que o MNF possa cumprir com a sua missão de salvaguarda, estudo e divulgação deste património, podem encontrar no MNF uma plataforma estratégica de contacto e comunicação com os seus diferentes públicos e mercados. O nosso papel também passa, claramente, pela promoção deste meio de transporte como opção preferencial para o futuro, sobretudo entre os públicos mais jovens.

WR: Se a memória não nos atraiçoa, desde a reabertura, o MNF já acolheu no Entroncamento eventos de modelismo em colaboração com o Grupo de Módulos do Norte, com o Grupo de Modelistas Ferroviários de Alverca (Locomodels 2016) e com o CIMH0, para além da exposição permanente de módulos no núcleo do Lousado do Grupo de Módulos do Norte. Esta colaboração evidencia uma atenção ao modelismo a que não estamos habituados em Portugal, sempre visto como um hobby só para alguns. Qual é a visão do MNF, o que pensa do modelismo ferroviário, qual é o seu lugar num museu?

AF: O modelismo e maquetismo são vertentes incontornáveis e omnipresentes nas colecções de qualquer museu ferroviário da Europa e do Mundo. Obviamente, o MNF não é excepção. De facto, não encaramos o modelismo como um simples hobby ou categoria secundária mas como testemunho de relevo da actividade ferroviária e que caminhou a par com esta desde o primeiro momento. Temos vários exemplos excepcionais, preservados e expostos no MNF, desde a primeira locomotiva a vapor existente em Portugal – La Lilliputienne, um modelo à escala -, e diversos modelos concebidos no contexto de formação profissional, tal como a réplica da Locomotiva Pacific CPss 1501. Contudo, não só nos empenhamos na preservação da memória desta actividade como a promovemos como elemento essencial na programação do Museu. Foi neste contexto que idealizamos o Circuito de Modelismo Tripulado MNF, inaugurado em 2016, e procurámos activamente desde 2015 organizar e receber encontros e exposições de modelismo. Mas para além do modelismo físico, também o modelismo virtual surge como vertente de grande importância, se considerarmos o papel fundamental que pode assumir numa perspectiva didáctica e de aprendizagem, o qual interessa explorar e desenvolver em Portugal.

WR: Na loja do museu, podemos ver vários artigos de modelismo. Poderemos esperar do museu algum tipo de iniciativa em colaboração com fabricantes, de alguma produção específica do museu na área do modelismo à imagem do que podemos ver noutros museus europeus?

AF: Considerando a importância que atribuímos a esta actividade, a inclusão de artigos de modelismo na Loja MNF é incontornável. Neste contexto, temos vindo a estabelecer relação com diversos fabricantes, muitos dos quais já incluem na sua oferta módulos que replicam modelos de veículos presentes da colecção MNF. Naturalmente, estamos sempre abertos a propostas de parceira e novos projectos que nos enderecem.

WR: Qual foi o impacto das exposições anteriores, quer em exposição mediática do museu, quer em visitantes/faixas etárias? E o que esperam para esta? A entrada livre para este evento pretende atingir que objectivo?

AF: O modelismo movimenta milhões de praticantes e seguidores em todo o mundo. Temos testemunhado isto mesmo nas exposições que já acolhemos no MNF sendo fulcral, para nós, captar e fidelizar este público. A adesão é, geralmente, entusiástica, traduzindo-se em milhares de visitantes em poucos dias, alcançando não só crianças e jovens, mas também adultos e seniores. Trata-se de uma actividade que potencia momentos de partilha e convivência multigeracional, sendo este um dos aspectos que o torna tão gratificante.

WR: Porque escolheram o pavilhão da antiga oficina do vapor para este encontro?

AF: Os espaços do MNF têm grande versatilidade, o que lhes permite acolher diferentes actividades e eventos, algo que temos comprovado continuamente desde 2015. Naturalmente, a escolha do sítio é avaliada caso a caso consoante as características e necessidades de cada iniciativa, sendo que as Antigas Oficinas do Vapor (único espaço do MNF coberto com dimensão para albergar a grande maquete contemplada na proposta) surgiram como o espaço mais adequado para a realização do Encontro de Módulos CIM-H0.

WR: Se algum modelista/colecionador, a nível particular, pensar em fazer um modelo à escala de algum veículo ferroviário português, existe a possibilidade de ter acesso a documentação existente no museu, e obter cópias para dar corpo à sua iniciativa?

AF: Como já referido, estamos abertos a propostas de colaboração e projectos que nos apresentem, de privados ou fabricantes, sendo a análise dos pedidos realizada caso a caso.

WR: Qual a mensagem que o MNF pode passar aos educadores em geral, no sentido de motivar as novas gerações a praticar um hobby destes e também a pugnar/defender a preservação da história ferroviária?

AF: É fundamental que os mais jovens entendam a importância que esta memória encerra, tendo eles um papel determinante na sua preservação. Para isso é preciso conhecer e valorizar este património. O trabalho que desenvolvemos com os diversos públicos tem como um dos principais objectivos divulgar, sensibilizar e reunir todos em torno desta causa. O modelismo, tal como outras actividades, pode ser um dos meios para alcançar esse objectivo.

WR: Quais serão as novas peças ferroviárias que o público poderá ver no MNF no futuro próximo?

AF: A identificação, recuperação e exposição de peças com interesse histórico e patrimonial está na base da nossa missão e algo que fazemos quotidianamente. Dando continuidade ao trabalho desenvolvido nos últimos dois anos, temos vindo a restaurar e incluir peças das mais diversas categorias patrimoniais não só na exposição permanente mas também em diferentes projectos e cedências regulares para exposições de norte a sul do país, iniciativas e melhorias contínuas que comunicamos regularmente aos diversos públicos através do website, redes sociais e comunicação social.

WR: Deseja referir algum aspecto específico sobre esta grande exposição?

AF: De referir por último que, no contexto desta grande festa dedicada ao modelismo ferroviário, teremos em funcionamento o Circuito de Modelismo Tripulado durante os quatro dias do evento: dia 28, sexta-feira, das 14h00 às 17h30; 29 e 30, sábado e domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h30; dia 1, segunda-feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h30.

Mod_CIMH0_CtzM2017P