free web
stats

MNF solda cabeça de carril no lugar do Presidencial

Fosso_MNF_00 O Comboio Presidencial do acervo do Museu Nacional Ferroviário (MNF) foi recuperado para circular. Situação que se verifica por estes dias no Douro em circulações especiais.

No entanto não deixa de ser inusitada a situação que se verifica no lugar deixado vago pelo veículo no Entroncamento.

A solução utilizada pelo Museu para proteger os visitantes de caírem no fosso levou a instituição a soldar à cabeça do carril barras para montar uma vedação.

Embora a opção mostre que existe capacidade em metalomecânica no Museu, a solução é estranha, e recordamos que o comboio foi recuperador para andar quando não está no Museu.

Ou seja, antes desta saída já houve outras, pelo que a necessidade de ter o dique protegido não é novidade.

“Olhando para as imagens é um coisa bizarra soldar uma vedação ao carril da via a vedar. Para mim sugere que aquela via com fosso não vai ser usada”, comentou um quadro do sector próximo da área da via e obras.

Fosso_MNF_01A via em questão serve para resguardar o comboio presidencial quando não está em trânsito. O edifico, antigas oficinas da EMEF, foi inclusive aumentado para comportar a composição na sua totalidade.

“Naquele lugar não trás grandes implicações, apenas terão é que retirar aquilo quando o comboio entrar, e o comboio ali entra devagar, a soldadura tem de ser limpa, o que vai acontecer é que vão ter mais trabalho, pois deveria ter arranjado uma base em vez de soldarem ao carril, nunca se deve soldar nada nos carris onde assenta a base de rolamento dos rodados”, adianta outro contacto sobre a solução.

No Museu existem outras soluções menos intrusivas. Como o recurso a solipas de madeira, em uso no Museu, ou acrílicos. Por outro lado o Museu sabe que o comboio pode sair com alguma regularidade, logo não se compreende porque é que não tem soluções mais definitivas.

Até porque será que o Museu sabe quais a implicações de substituir um carril embebido. Nós não e perguntamos à IP Engenharia mas ainda não tivemos resposta.