free web
stats

Ferrovia 2020: Prioridade passa por cruzamentos de 750 metros

Mais do que rectificar traçados para acabar com as pendentes na Rede Ferroviária Nacional, as intervenções previstas no âmbito do programa Ferrovia 2020 terão em perspectiva capacitar a rede para a circulação de composições de mercadorias com 750 metros.

A lançar a apresentação da intervenção prevista para o Corredor Norte, programa Ferrovia 2020, Carlos Fernandes, vice-presidente da IP, adiantou para a assistência presente na Conferência “Nó Ferroviário da Guarda”:

“Nós podíamos gastar um parte significativa destes 2700 milhões [Ferrovia 2020] a eliminar uma ou outra pendente pontual, mas sem haver um programa sistemático de eliminação de pendentes, não ganhamos nada com isso. Porque se tivermos uma mais à frente, e os espanhóis não tiverem um programa semelhante, tiramos muito pouco partido nisso”.

O aumento de capacidade deverá ser conseguido através do tamanho das composições e com os meios técnicos dos operadores.

Isso será feito, explicou, “com uma ou duas locomotivas, em tracção simples ou em múltipla” a encabeçar as composições.

Só numa fase seguinte, e de forma consertada com Espanha, as pendentes serão alvo de acção, adiantou. Entretanto a IP, no quadro Ferrovia 2020, quer ter a possibilidade de circulação de comboios com o cumprimento de 750 metros em toda a Rede Ferroviária Nacional.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.