free web
stats

Alfa Pedular condiciona circulação na linha do Norte

Um comboio do serviço Alfa Pendular da CP Comboios de Portugal com destino ao Porto parou com avaria no km 90 da linha do Norte esta quinta-feira. A avaria na automotora 4002 ocorreu entre Vale Figueira e Mato Miranda e condicionou a circulação por mais de três horas ao raiar da manhã na linha do Norte.

O comboio partiu às 6h00 de Lisboa Santa Apolónia e parou devido a avaria ao Km 90, entre Vale Figueira e Mato Miranda, antes das oito da manhã de quinta-feira apurou a webrails.tv. A estação de Mato Miranda ficou guarnecida às 8h00, altura em que ficou estabelecida a circulação em via única, pela via descendente, entre Santarém e Mato Miranda. A normalidade à circulação regressou cerca das 10h00.

A unidade foi socorrida por uma locomotiva da série 5600 que trouxe a automotora até ao Entroncamento. Na estação uma equipa associada à manutenção da série vinda do Porto procurou recuperar a avaria. De acordo com o jornal Público a recuperação “não se revelou possível”, embora a unidade tenha depois seguido para Contumil sem necessidade de reboque.

A webrails.tv procurou mais elementos junto do operador mas ainda não foi possível apurar mais sobre o ocorrido. De forma não oficial o incidente poderá estar associada ao bloqueio das rodas por falta de pressão.

Só que a imobilização condicionou a circulação na linha do Norte por mais de 3 horas. Trata-se do corredor ferroviário  mais relevante da Rede Ferroviária Nacional e com um papel significativo nas contas da empresa pública de transporte.

Sobre o ruído introduzido no corredor o Público adiantou que:

“o comboio não pôde ser rebocado prontamente para as oficinas do Entroncamento porque a única via desimpedida ficou também temporariamente bloqueada devido à paragem extraordinária de um comboio regional em Mata Miranda”, na Golegã.

Uma utente grávida, explica, sentiu-se mal e acabou por ser socorrida pelo INEM naquela estação.

No entanto dentro do comboio há quem questione porque é que a locomotiva de socorro ao Alfa seguiu atrás do regional. O comboio passageiros que acabou por ficar retido em Mato Miranda, e segundo o jornal terá influenciado a movimentação da CPA 4002.

O regional, rápido Entroncamento – Lisboa, iniciou a marcha às 8h08. A essa hora já o 4002, na rotina diária do horário, aponta para a terceira paragem do percurso, em Coimbra B, à mais de 20 minutos.

Outra dimensão com significado, neste incidente, remete para a manutenção da frota CPA. As 10 unidades que formam a rotação do material estão à conta na oferta do operador. Não só pela procura que o segmento de passageiros exige, e a disponibilidade que as unidade têm de ter na oferta.

Depois porque a manutenção de meia vida da série não se tem assumido como prioridade. Os passos dados tiveram iguais hesitações. Algo que só aconteceu no final do ano passado. Das 10 unidades existentes a primeira entrou em oficina.

Entretanto falta intervir em oito CPA’s. A segunda unidade só entrou em oficina no primeiro semestre deste ano. Num cenário onde a primeira automotora entrou em revisão de meia vida devido ao empurrão de um incêndio.

Nos casos de avaria em plena via e face a uma imobilização por mais de 20 minutos, e caso não seja possível possível movimentar o material  até à próxima estão para desimpedir a via, é accionado o socorro. Com a composição imobilizada na via, o modo de agir da CP aponta como prioridade, primeiro o retirar os passageiros do comboio, e só depois proceder ao socorro do material circulante.

Resta saber se com o cenário de multiplicação de empresas no modo ferroviário, e sucessivos abates de material, como é que anda a agilidade da resposta de socorro do sector em caso de avarias na linha. Isto porque com os sucessivos atrasos na manutenção de meia vida da frota Alfa, diz a ferrovia, que não será estranho se o material se andar a queixar em plena via.