free web
stats

EMEF: Saída de 10 trabalhadores promove acção de ferroviários no dia 20

Ferroviários da EMEF promovem uma concentração em frente ao Conselho de Ministros no dia 20. A dispensa de 10 trabalhadores precários está na base da iniciativa, adianta a FECTRANS.

De acordo com a ORT, “estes 10 trabalhadores fazem falta e a prova disso é que a mesma administração da CP que promoveu este despedimento, perante a denuncia que fizemos, já fez um pedido para a admissão de 10 trabalhadores para a oficina da EMEF em Santa Apolónia, onde cresce o número de material imobilizado, por falta de capacidade de intervenção”.

Numa questão dirigida ao ministério do Planeamento e das Infraestruturas, via parlamento, do PCP,  o enquadramento do documento revela que na passada sexta-feira 30% do material se encontrava imobilizado no Parque de Material de Lisboa Santa Apolónia. Quando o normal seria de 10%.

Às 8h00 de sexta, refere, o cenário era o seguinte: “Por tipologia de material, a situação era a seguinte: 1ª cl corail – em 10 estão imobilizadas 3, quando deveria estar 1; 2ªcl Mod – em 31 estão imob 12, quando deveriam ser 3; 2ªcl corail – em 37 estão imob 11, quando deveriam
ser 4; 1ª cl+bar mod – em 11 estão imob 2, quando deveria ser 1; 1ªcl+bar corail – em 10, estão imob 2, quando deveria ser 1″.

Também na sexta-feira, na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, o ministro Pedro Marques face a questões levantadas respondeu que a EMEF tem de contratar pessoal qualificado. O seu ministério, adiantou aos deputados, está “a falar com as Finanças para ter autorização para a contratação”, com vista a mitigar o problema de pessoal na empresa.

O Sindicato diz que a saída dos 10 trabalhadores o trabalho na oficina não diminuiu. Explicou que a situação limita a capacidade de fazer as intervenções necessárias em oficina, e que assim terá de ser colmatada com  trabalho extraordinário: “o que tem custo já que esse trabalho tem uma remuneração mais elevada”.

Entretanto questiona se apesar de contratados por via empresa de trabalho temporário, “estiveram a ocupar postos de trabalho permanente, integrados em equipadas de trabalho da EMEF, a cumprir horários de trabalho determinados por esta empresa, a utilizar as ferramentas e equipamentos fornecidos pela EMEF, utilizando fardamento também desta empresa”. não deviam ser considerados com trabalhadores da EMEF.

Isto porque, segundo a ORT, os 10 trabalhadores dispensados integravam o pedido de admissão ao programa de regularização extraordinária dos vínculos precários na Administração Pública, ocupavam postos de trabalho permanentes.

Pela reintegração dos 10 trabalhadores com vínculos precários recentemente despedidos, a ORT informa que se realizará no próximo dia 20 de Julho, pelas 10,15h, uma concentração em frente à Presidência do Conselho de Ministros, na rua Professor Gomes Teixeira em Lisboa.