free web
stats

A 100 metros dos 750 – Parte 01

Mercas_fer650No quadro das intervenções do programa Ferrovia 2020 associado ao transporte de mercadorias, tornou-se comum associar projectos, obras de modernização e construção de novas linhas, a comboios ou cruzamentos de 750 metros.

O Plano em vigor, citado sempre que se coloca alguma questão sobre ferrovia, diz que até 2021 a circulação dessa tipologia de composição na rede ferroviária nacional deve ser normal.

No entanto, essa realidade, com a rede que temos, está bem mais próxima do que se pensa. A Medway, no tráfego de carga contentorizada, já opera comboios de 650 metros.

O eixo Sines-Leixões compreende um itinerário de 532 km e um tempo de trânsito de pouco mais de oito horas. De acordo com a carta impressa, e sem imprevistos, o comboio parte de Sines, Terminal XXI, perto das 16 horas, e chega a Leixões à meia noite e meia.

. Bruno Silva, Director Geral do operador ferroviário MEDWAY, abordou a existência deste tipo de composições no portefólio da empresa, e a aposta que tem em movimento desde o primeiro semestre do ano entre Sines e Leixões.
 
.

A marcha inicia-se com o sinal de saída da raquete de Sines aberto. Na linha de Sines, sem paragens – quanto muito cruza um carvoeiro parado – segue até Ermidas-Sado, onde entra na linha do Sul até à estação do Poceirão.

Na concordância enceta uma curta viagem pela linha do Alentejo rumo a Bombel, onde entra na linha de Vendas Novas. Em Setil desvia para a linha do Norte e corre até Campanhã. Aí a marcha, na linha do Minho, prossegue até Contumil onde encontra a linha de Leixões. O corredor faz a ponte para o terminal portuário.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.