free web
stats

Fertagus cresce no transporte em 2016

Na Fertagus, o ano de 2016 ficou caracterizado pelo crescimento da procura. Ao longo de todos os meses do ano a procura de transporte foi sempre superior à do ano anterior, informou o operador ferroviário pesado do grupo Barraqueiro sobre 2016.

Em 2016 a empresa transportou 19 milhões de clientes contra os 18,4 milhões registados em 2015. No entanto entre 2016 e o ano anterior não houve variação do número de km percorridos em serviço ferroviário, que se centrou nos 1,8 milhões de km.

Os meios de transporte mais expressivos usados no acesso ao corredor explorado pela empresa, continuaram a ser o Metro de Lisboa e Sulfertagus.

Adianta o operador: “Como em anos anteriores, o Metro de Lisboa, na margem norte, e os autocarros da Sulfertagus, na margem sul, foram os meios de transporte que maior importância assumiram nas ligações às estações com 39% e 28% respectivamente”. Ambos registam subidas de 1% face a 2015.

O volume de negócios centrou-se nos 29,7 milhões de euros. Uma ligeira subida face aos 28,6 de 2015. O investimento, à escala e interesses da empresa, também cresceu. Em 2016 rondou os 398 mil euros, mais 35 mil euros que os 360 mil colocados na operação em 2015.  Do montante total 40% destinou-se a equipamentos de bilhética.

“Neste campo, tiveram maior destaque os investimentos realizados com o desenvolvimento do sistema de venda e utilização do zapping na Fertagus e Sulfertagus, a implementação de torniquetes no acesso às zonas comerciais, bem como as naturais evoluções e desenvolvimentos do sistema sem contacto”, explica a Fertagus.

Recorde-se que a empresa lançou o ano passado o título de transporte digital Via Verde Mobilidade. O projecto, já em funcionamento, juntou a Via Verde e a Nova Base ao operador ferroviário na criação de uma solução de mobilidade “pay-as-you-go”.

Ao nível da oferta, entre Janeiro e Dezembro de 2016 realizaram-se 55 844 comboios, dos quais 22% foram comboios duplos. Já os “níveis de excelência em matéria de regularidade e pontualidade” tiveram algum atrito.

Segundo o operador o índice de pontualidade aos 3 minutos situou-se nos 95,9%, no entanto complementa: “deve sublinhar-se que as razões para os atrasos foram em 81,6% dos casos da responsabilidade da gestora da infraestrutura, a Infraestruturas de Portugal, e outros operadores”.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.

“No final do ano, 79% das lojas existentes nas 6 estações da Margem Sul encontravam-se ocupadas. A facturação global das lojas ascendeu a cerca de 10 milhões de euros, um valor semelhante ao registado no ano precedente”.

Nas estações sob gestão da Fertagus, durante 2016 estiveram abertas, em média, 96 lojas, um número acima das 89 lojas do ano anterior.