free web
stats

Tutela: OE 2018 reitera intenção de adquirir comboios novos

allan_badajoz_CarlosOlmosA aquisição de material circulante novo por parte do Estado português insere-se nas políticas a implementar pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas para 2018.

Adianta a proposta de Orçamento de Estado para 2018: “em 2018 será desencadeado um plano de aquisição de novo material circulante”. Inicio do processo que deverá manter o programa de investimento de modernização do material circulante, remata o documento.

Para o sector o OE 2018 defende ainda como politica que a pasta do Planeamento e das Infraestruturas deve manter a prioridade dos investimentos previstos no Plano “Ferrovia 2020”.

“No âmbito do Plano “Ferrovia 2020” está previsto um investimento global de mais de 2 mil milhões de euros, quer para a construção de novas linhas ferroviárias, numa extensão de 214 Km, quer para a modernização de linhas existentes, em cerca de 900 Km”, assinala.

Escreve-se no documento que o horizonte dos investimentos visa o reforço da interoperabilidade – arranque da instalação do sistema europeu de gestão de tráfego ferroviário – o aumento do comprimento de cruzamento dos comboios para 750 m e a preparação da migração para a bitola standard.

Entretanto: “Em 2018 prevê-se, especificamente, a continuação dos trabalhos na Linha do Norte, designadamente nos troços Alfarelos – Pampilhosa e Ovar – Gaia e dos trabalhos de eletrificação da Linha do Minho. Prevê-se, ainda para 2018, o início das obras nos principais corredores internacionais, designadamente no corredor internacional norte no troço Évora – Elvas – Fronteira, na Linha da Beira Baixa no troço Covilhã – Guarda e na Linha da Beira Alta no troço Guarda – Vilar Formoso”.

Estes projectos ferroviários terão deverão ter cofinanciamento europeu, através do Portugal 2020 ou de outros mecanismos e instrumentos europeus, tal como o Mecanismo Interligar a Europa.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.