free web
stats

Olhar de um Passageiro – Mini Férias

lagos_rafael_01Portugal não foi feito para ficar em casa e desta vez não foi exceção. Nada melhor do que gozar um feriado a uma sexta e outro logo seguido a uma segunda, para aproveitar e rumar ao Algarve para umas mini ferias. O comboio fica para o fim pois só viria a utilizá-lo no último dia de viagem.

O destino foi Lagos e desta vez, para ir, fui a boleia de carro. Por mais que insistisse em ir de comboio não me foi possível. Já faz 5 anos que não vinha para cidade que tanto adoro. Coube aos meus pais e irmã serem os meus companheiros desta viagem.

Em lagos começamos logo de manhã cedo por dar um passeio pelas ruas da cidade. O aroma a maresia sente-se na maior parte da cidade. O almoço foi num dos locais mais famosos da cidade, A Adega da Marina. Uma bela posta de Salmão, acompanhada por umas quantas batatas cozidas e regadas por um belo azeite e vinagre encheu-me bem as medidas.

Já no hotel pronto para fazer o check in, eis uma boa surpresa. Este fica na reta da meia praia, de seu nome Dom Pedro Meia Praia Beach Clube, e sorte a minha, calhou-me um quinto andar e com vista para o mar.

Uma vista deslumbrante e por sua vez, a linha do comboio predominou na minha paisagem. Já na varanda e mal acabo de chegar, o primeiro comboio. Eram quase 14h10 e rumava ao Termino. Praticamente 10 minutos depois, o mesmo passa no sentido oposto em direção a Faro. Estávamos então a iniciar umas belas mini Férias.

lagos_rafael_02O resto do dia foi ocupado com compras para a estadia, mais um passeio por Lagos desta vez noturno e uma passagem pela piscina do hotel. Mais uma vez, já faz anos que não entrávamos numa piscina, será que pareço assim tão velho?

O tempo como sempre é a abrir. Aqui já vamos no meu segundo dia. Nada diferiu em relação a ontem, tirando a parte que não houve uma viagem de carro entre Lisboa e Lagos. De manhã estava dedicado à praia mas foi impossível ficar lá mais de 30 minutos.

Naquela manhã, o vento que estava, não permitia longas estadias no extenso areal da meia praia. Ora então, piscina antes de almoço.
O resto do dia foi praticamente idêntico. A tarde começa na varanda a ver comboios, bem como um novo regresso a piscina, onde terminamos o dia com mais um curto passeio noturno pelas ruelas do centro da cidade de Lagos.

O meu ultimo dia, antes do regresso a Lisboa, ficou marcado por mais uma mão cheia de comboios a passarem me à frente. Ainda consegui fazer alguns vídeos dos mesmos, para mais tarde me lembrar deste curto tempo para descansar. Mais piscinas e passeios marcaram o dia juntamente com o refazer a mala, visto que, no dia seguinte, o regresso estava marcada para as 7h48.

Agora sim, a parte mais aguardada por envolver diretamente o caminho-de-ferro. Embora com um sentimento de tristeza por regressar a Lisboa novamente.

Decidi vir no primeiro Intercidades do dia para poder chegar com tempo a Lisboa de modo a ter a tarde por minha conta, descansar e preparar-me para o grande começo lá no trabalho.

À Tabela, arrancamos. Passei uma ultima vez ao lado de onde tinha pernoitado as ultimas noites, e la estavam os meus pais de costas voltadas para mim. Nem se aperceberam do comboio a passar por lá.

lagos_rafael_04Sempre a tabela lá passamos os vários apeadeiros e estações até chegar ao Algoz. Aqui entrei em modo de espanto. O comboio ficara vazio em cerca de 60%. Uma simpática senhora, já com os seus mais de sessenta anos, lá me disse que era dia de feira do Algoz, e que a maioria das pessoas das populações vizinhas usava o comboio para se deslocar até àquele local. Para mim, um privilegio ouvir que a população utilizava o comboio como meio de transporte.

“Próxima paragem, Tunes! Next Stop, Tunes!” – Anunciou o revisor poucos minutos antes de entrarmos na curva que precede a estação. Novamente uma bela surpresa.  Uma inusitada composição encostada na linha de apoio. A 1408 com vagão Sperry Rail e um furgão inox.

Lá tive um tempo todo de espera a admirar aquela composição. Havia-a visto há cerca de duas semanas atrás no Intra Rail que fiz ao Porto.

Entretanto, ao longe, aparecia no horizonte o Intercidades de ligação a Lisboa. A minha carruagem, 23, era a segunda de uma composição de seis carruagens liderada pela 5620.

lagos_rafael_03As próximas três horas foram excelentemente bem passadas. Com a marcha sempre à tabela, enfrentamos toda a serra algarvia, na sua média de 100 km/h. Messines-Alte, Santa Clara Saboia, Funcheira, Ermidas-Sado e Grândola, ficaram para três. Foi num instante que chegamos ao Pinhal Novo.

Não preciso contar o que se sucedeu daqui em diante. Um comboio mais que pontual e claramente num instante entrava na 25 de Abril. Uma das melhores travessias ferroviárias que recomendo fazer no comboio, seja se Fertagus, IC ou Alfa.

11h56, “Próxima paragem, Lisboa Oriente”. Chegamos, e assim se chega ao fim de mais uma aventura, desta vez a sul do país.

Agora resta-me ir comer qualquer coisa e rumar a casa para me preparar para o dia de amanhã que marca o inicio de uma nova vida no mundo da Cozinha. Neste momento, já conto os dias para voltar ao caminho de ferro… Faltam duas semanas… O destino… Esse tem de seu nome Évora!