free web
stats

Personagens célebres do Caminho de Ferro – George Mortimer Pullman

Nascido em 1831 em Chatauqua, no estado de Nova Iorque, Pullman foi um cidadão que, pelas suas numerosas viagens de comboio, detestava viajar em carruagens de madeira que, na época eram desconfortáveis, com bancos de madeira, e muita trepidação. Pensou que, a viagem se tornaria muito mais confortável, sobretudo em viagens nocturnas, se as carruagens fossem cómodas e silenciosas. O seu pensamento estendeu-se aos restantes viajantes americanos que deviam pensar o mesmo que ele. Era um mercado a descobrir e colocou a sua ideia em prática. Ele inventa a primeira carruagem Pullman e como em todas as histórias de sucesso americano, Pullman ficará um milionário respeitado.

Em 1863, George M. Pullman, um construtor de vagões de mercadorias, realizou nas suas oficinas uma carruagem de passageiros denominada Pioneer. Mobilada com assentos que se transformavam em camas à noite, pequenos compartimentos estavam isolados por cortinados em torno das camas, esta carruagem custava o quádruplo de uma simples carruagem de bancos de madeira.

A primeira carruagem cama Real Pullman, moderna na época, foi construída em 1865 (Pioneer), mais comprida, alta, larga que as suas antecessoras; as pontes e as plataformas das estações foram todas reformuladas para permitir a passagem deste novo material circulante.

Aquecida através do ar quente da fornalha, que passava numas condutas sob o soalho; Iluminado com velas, ventilado através das janelas existentes, ao centro carruagem numa elevação do tecto, tipo clarabóia. Possuía dois compartimentos em cada extremidade, e oito seções; tinha um espaçoso banheiro, madeira de nogueira preta, muitos painéis em madeira em relevo e muitos espelhos. Era totalmente forrado a carpete, estofos de pelúcia, estilo francês, boas e amplas camas. Equipada com 16 rodas, boggies quádruplos, uma experiência experimental neste período mas abandonada a favor de 12, o actual sistema standart.

As primeiras carruagens Pullman possuíam camas onde a intimidade estava assegurada, mais ou menos, dado que, existiam muitas correntes de ar dentro da carruagem, por um sistema de cortinas que possuíam as camas que se situavam mais altas.

Ligeiro e incerto, este sistema não assegurava uma protecção à intimidade das senhoras. Para não perder a sua clientela feminina e seus respectivos maridos, Pullman estudou um sistema de partição do espaço em compartimentos; no entanto, estas divisórias fixas faziam perder espaço para os sofás.

A rentabilidade de um investimento desta natureza torna-se incerto para as empresas ferroviárias, mesmo através da cobrança de suplementos pesados para os viajantes que desejam uma cama para a noite. Pullman é desprezado: ninguém quer acreditar na sua ideia. Não desanimado, com receio que as suas carruagens ficassem estacionadas sem uso, a caminho do seu apodrecimento, Pullman resolve criar pequena taxa, à empresa Michigan Central, que resolve levar a testar. Este pedido para viajantes que desejam reservar um compartimento e dormir numa cama, um complemento igual à de uma noite de hotel, foi um sucesso imediato e a Pioneer está sempre cheia.

A Companhia Pullman Carruagens-Cama

Encorajado pelo sucesso, Pullman constrói a sua segunda carruagem-cama. Esta é agora mais confortável, mais ampla e mais silenciosa. Vai receber muito mais dinheiro, uma que a taxa aumenta. A astúcia de Pullman reside no facto de ele dotar as camas de um sistema em que as mesmas, durante o dia são sofás e à noite se transformam em camas repousantes.

Por conseguinte, não é um sistema de leitos permanentes como poderia ser encontrado em várias companhias ferroviárias americanas e europeias, instalados nos compartimentos de luxo, os quais ficariam desocupados durante o dia.

Pullman tem um génio para a publicidade. Ele sabe como criador e autor da carruagem cama uma imagem de qualidade e excelentes maneiras. Não podemos viajar sem ser em Pullman, quando é alguém importante, e quando o presidente Lincoln morre, ele recebe essa carruagem funeral de Mrs. Lincoln. Quando Pullman morreu em 1897 (Chicago), a Companhia de Carruagens-Cama Pullman tem 2.500 unidades, que transportam 6.000.000 passageiros, empregando 15.000 trabalhadores e produzindo 313 carruagens-cama, 626 carruagens clássicas de passageiros e 940 carruagens para serviços urbanos, por ano. Já para não falar de 12.520 vagões de mercadorias produzidos igualmente sob a patente Pullman.

Pedro Zúquete