free web
stats

Importação e exportação ibérica por ferrovia mais simples em perspectiva

Sines-Madrid_MEDWAYA carga espanhola destinada à importação ou à exportação por modo ferroviário pode vir a seguir directamente dos portos nacionais abreviando os trâmites legais em Portugal. A intenção está vertida na integração de novas funcionalidades prevista para Janela Única Portuária (JUP).

O Estado português tem em curso o projecto da Janela Única Logística (JUL), previsto para substituir a JUP, onde quer integrar os modos ferroviário e rodoviário, portos secos, fronteiras, além dos importadores e exportadores.

O projecto piloto, no eixo ferroviário Sines-Entroncamento, já está a correr. Uma solução, com a implementação no terreno prevista para o final de 2019, será para replicar a outro portos secos, em Portugal.

A extensão do conceito a Espanha e a existência de protocolos entre os dois países, que permita a importação, exportação e transito das mercadorias; abre espaço à integração de portos secos espanhóis no sistema.

Intenção, que a confirmar-se no terreno, agilizará a circulação de mercadorias nos corredores ferroviários entre Espanha e os portos nacionais.

O tema esteve em destaque esta quinta-feira no segundo dia do 20º Congresso de Logística, na sessão “Estratégia e Competitividade Jup/Jul”.  O quadro juntou: Vieira Santos, Yilport; Belmar da Costa, Agepor; Rui Palmira, Direcção Geral dos Recursos Marítimos, organismo responsável pela implementação do projecto.

A proposta da organização junto um painel mais marítimo. Mas a integração da ferrovia e a intenção de prolongar os hiterlands portuários no upgrade do sistema, lembrou que o modo ferroviário é um parceiro de referência no marítimo portuário para o mercado ibérico.

O 20º Congresso de Logística, organizado pela Associação Portuguesa de Logística, decorreu em Lisboa no PT Meeting Center, a 25 e 26 de Outubro.