free web
stats

Escala N na LOCOMODELS_EXPO 2017

A LOCOMODELS_EXPO 2017 contou com a presença de um expositor que apresentou um showcase em escala N. O seu nome, Eric Didier, um francês radicado em Portugal.

O showcase Valdecrins inspira-se em linhas secundárias francesas, mais concretamente, no Maciço Central, na linha de Cévennes.

A estação

A estação

Desenvolve-se em via única, e está adaptado ao desenvolvimento modular, para futuro crescimento. Este crescimento ir-se-á compor em duas fases: o crescimento da estação, que já esteve exposta, até uma dimensão onde poderão parar composições até 12 carruagens de passageiros, e o crescimento em plena via, de forma a complementar o troço que também já foi exposto.

Este ambiente de plena via, desenvolver-se-á em montanhas escarpadas, bordejando rios, características desta zona de França. O objectivo final é vir a ter uma via fechada, em oval, desenvolvendo as actuais extremidades, 2 gares fantasmas, para plena via e garagem de composições.

O modulo da estação, inspira-se numa estação da linha entre Grenoble e Briançon, embora não pretenda uma representação fiel. Para isso visitou a estação de Clelles – Mens, e fez um levantamento do funcionamento das linhas principais, secundárias ou de manobras. Estudou horários e frequências das composições, e o material circulante mais representativo que por ali circulava na época IV-V, locomotivas, automotoras, carruagens e vagões. Sendo que nesta zona de França se situa uma das maiores áreas de produção de madeira. Esta pesquisa foi feita in loco, mas também com recurso a fotografias e filmes hoje largamente disponíveis na internet.

Mod_LE_Valdecrins02

O transporte da madeira

Infelizmente, em escala N ainda não se encontra muito material reproduzido, embora a realidade esteja a ser alterada com os lançamentos dos últimos anos. No showcase, pudemos ver um X2800 época, BB 66000, BB 67000, Classe 66 VFLI, carruagens DEV A0 curtas, carruagens cama, material plausível de ter circulados por estas linhas. E claro, muitos e variados vagões de mercadorias!

O funcionamento é analógico. Eric Didier ainda não aderiu ao digital, porque acredita que o funcionamento destas locomotivas em N, é tão bom, que ainda não é necessário recorrer ao digital, para além de limitar os custos dessa solução. As duas gares fantasmas desenvolvem ideias diferentes, muito interessantes e difundidas na internet, com especial cuidado e atenção à economia de recursos necessários, pois, no futuro desaparecerão para dar lugar à via fechada. Todo o manuseamento ainda é manual, e no futuro, Eric ainda não tomou um decisão quanto ao desenvolvimento tecnológico do layout, preferindo concentrar-se no ambiente ferroviário.

No apontamento de vídeo feito pela webrails.tv, todos estes detalhes são explicados pelo Eric Didier. Bom visionamento!