free web
stats

A primeira viagem presidencial ao estrangeiro foi de comboio

rossio_BernardinoMachado

img: Museu da Presidência

A 25 de Outubro de 1917 Bernardino Machado, Presidente de Republica Portuguesa, chegava a Lisboa, via estação do Rossio, depois de uma visita a França. Tratou-se da primeira deslocação oficial de um chefe de Estado português ao estrangeiro.

Para assinalar o centenário da deslocação e recuperar as várias dimensões que compreenderam a viagem presidencial o Palácio da Cidadela de Cascais acolhe, a partir de 8 de Novembro (até 4 Março 2018), a exposição “Boa Viagem, senhor Presidente.De Lisboa até à Guerra”.

“Em Outubro de 1917, Bernardino Machado partiu da Estação do Rossio, para uma viagem que durou dezoito dias. O Presidente foi recebido pelo Rei Afonso XIII de Espanha, o Presidente Raymond Poincaré de França, o Rei Jorge V de Inglaterra, Alberto I da Bélgica, e visitou os militares do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Primeira Guerra Mundial”, explica o Museu da Presidência da Republica, entidade organizadora da exposição.

A exposição, composta por mais de cinco centenas de peças provenientes de várias colecções públicas e privadas,  recupera uma época onde “viajar não era uma rotina, mas um acontecimento”; inserido no esforço português da I Grande Guerra.

Ferrovia na Viagem

Na viagem, ocorrida à 100 anos, o modo ferroviário foi relevante. À época o meio de transporte terrestre era de referência pela rapidez, conforto, e segurança. Assim, inseridos no enredo da jornada, não é estranha a presença de comboio para alcançar o destino e proceder ao regresso, e a estação de Caminhos-de-Ferro do Rossio, na viagem que decorreu entre 8 e 25 de Outubro de 1917.

A estação lisboeta foi o palco para o inicio e fim da viagem. Como se retrata na imagem acima. O comboio, modo de transporte seguro e eficiente ainda hoje, o veículo que serviu a mobilidade da primeira figura de Estado e respectiva comitiva. Acompanharam o presidente, entre outras figuras, o chefe do Governo, o ministro dos Negócios Estrangeiros, e cinco jornalistas.

Sendo a ferrovia apenas mais uma dimensão na narrativa expositiva. “Boa Viagem, senhor Presidente.De Lisboa até à Guerra” atrasa um Século, recupera uma época, e dá volume às dimensões de viagem e conflito mundial. No entanto, derivado à vanguarda do modo de transporte, a ferrovia vai ter expressão na exposição.

Mesmo existindo poucas imagens que documentem o material circulante usado e momentos dessa deslocação, investigação expressiva em Espanha e França, a exposição trás ao público para se compreender a ferrovia na jornada,  entre outros aspectos, a formação base do comboio.

Salão Syf 1

Na jornada ibérica, Lisboa – San Sebastian, a composição compreendeu “locomotiva a vapor da Série 351 a 370 + Furgão série DDf 941 a 975 + Carruagem mista série AByf 241 a 250 + Carruagem restaurante CIWL Nº1707 + Salão Asf6 + Salão As9 + Furgão série DDf 941 a 975″, explicou Eugénio Santos.

O aficionado e investigador da temática dos comboios e caminhos-de-ferro colaborou na exposição. Entre o contributo que deu para o entendimento da dimensão ferroviária está a reprodução da composição em desenhos 2D e um painel em vinil com a locomotiva.

Outra presença significativa, e que também vai permitir recuar no tempo e permite imaginar o comboio no meio, surge na reprodução da composição em modelos 3D do Train Simulator.

Rui Fonseca, modelista virtual, reproduziu o material circulante a três dimensões para jogo. Essa modelação permitiu colocar a composição em estado de marcha num vídeo criado de propósito para a mostra.

Assinala-se também a participação do associado da APAC Fernando Pedreira. O entusiasta, especialista em material circulante, colaborou no enquadrar da ferrovia na exposição.

Viagem na Ferrovia

Embora não seja simples, alguém do lado de fora já andou pelos arquivos e ensaiou parte da viagem quase sem comboio em território espanhol.

Através da descrição da viagem sabe-se que em Hendaya o presidente e comitiva mudaram de comboio. À espera estavam cinco carruagens enviadas pelo presidente francês.

Por outro lado assinalar o trabalho da presidência e negócios estrangeiros para projectar a visita no terreno. Esta será uma dimensão curiosa de se seguir. Saber quanto tempo demorou produzir a deslocação, que meios foram usados, o tempo de troca de correspondência, fornecedores e serviços.

De terça a domingo até 4 Março de 2018

Mediante reserva prévia, “Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra” pode ser visitada por pessoas com deficiência visual.

A exposição “Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra”, vai estar patente no Palácio da Cidadela de Cascais de 8 de Novembro a 4 de Março de 2018. Pode ser visitado de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00.