free web
stats

Meu Pai Foi Ferroviário apresentado no CFP

No passado dia 29 de Novembro teve lugar no Clube Ferroviário de Portugal (CFP) a apresentação do 9º volume da série “O Meu Pai Foi Ferroviário”. A edição é dedicada a ferroviários portugueses.

.
CFP_livroMeuPaiFerroviario

img: Jorge Trigo

O 9º volume da coleção brasileira intitulada “O Meu Pai Foi Ferroviário”, da editora brasileira “In House”, do meu amigo Márcio Martelli foi apresentado na sede do Clube Ferroviário de Portugal nesta quarta-feira, 29 de novembro, às 18h. Este volume tem a particularidade de ser dedicada aos ferroviários portugueses.

A apresentação do livro foi feita pelo Presidente da Assembleia Geral do Clube, Arsénio Facas. Da mesa fizeram parte ainda Guilherme Gonçalves, Presidente da Direção do Clube e Jorge Trigo, historiador, coordenador do volume e representante da editora brasileira “In House”.

O 9º livro da coleção “Meu Pai Foi Ferroviário” reune 22 histórias de antigos ferroviários, contadas pelos seus filhos, com pessoas oriundas de Abrantes, Alter do Chão, Arraiolos, Castelo Branco, Covilhã, Elvas, Fundão, Gavião e Ponte de Sôr, ocupando funções várias nas estações, nas vias, nas locomotivas, e trabalhando nas linhas ferroviárias do Leste, da Beira Baixa, do Alentejo e do Algarve.

As entrevistas estiveram a cargo de Daniela Carmona, técnica superior no Arquivo da Câmara Municipal do Entroncamento. A colecção brasileira é coordenada por Eusebio Santos.

A sessão teve entrada livre e foi enriquecida com um agradável Momento de Tango, a cargo de dois excelentes professores argentinos que ensinam esta modalidade de dança no Clube Ferroviário.

Muito obrigado a todos os que colaboraram, tornando possível a realização deste evento, e os que o divulgaram.

Jorge Trigo

.

O livro foi apresentado por Arsénio Facas, presidente da Assembleia Geral do CFP. Integraram ainda a mesa Guilherme Gonçalves, presidente da direcção do CFP, e o coordenado da edição portuguesa Jorge Trigo.

O lançamento oficial ocorreu a 9 de Junho no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento. Na ocasião estiveram presentes o editor brasileiro Márcio Martelli e Daniel Carmona.