free web
stats

Mercadorias: Proposta SMAQ enquadra maquinistas na função de Chefe de Comboio

fernaveFIMAQAs funções de Agente de Acompanhamento de Comboios ou Chefe de Comboio nas composições de mercadorias Medway podem vir a ser desempenhadas por maquinistas e maquinistas técnicos.

A implementação surge enquadrada na proposta negocial do SMAQ – Sindicato dos Maquinistas para o Regime de Condução de Agente Único Medway, a discutir este mês.

O documento, que complementa as posições do sindicato, reconhece que a categoria pode desempenhar a função e como se operacionaliza.

A introdução, refere-se, não necessita de alterações técnicas, estas vertem nas Ordens de Serviço.

“Presentemente, por referência à totalidade dos serviços assegurados pela Medway, as rotações passaram a estar incluídas em escalas de maquinistas, [...] são aquelas em que os Agentes de serviço nas Estações de expedição/recepção, de outra carreira que não da Tração, procedam à preparação/receção do Comboio ou quando em trânsito dispensem, de forma planeada, qualquer toma/ deixa de material”, lê-se no documento.

O reconhecimento, adianta o documento, assenta na “perspectiva de equilíbrio da actividade por parte da Medway”, sem reflexo  na “redução do efectivo da Carreira de Condução – Ferrovia/Tração”, do interesse reciproco.

O documento SMAQ foca ainda, no quadro da proposta negocial de alargamento do Regime de Agente Único na Medway, para as categorias de profissionais da Carreira de Condução – Ferroviária/Tracção, o período de trabalho, e a retribuição pela aumento das “responsabilidades, tarefas e funções”.

Aponta as seis horas como período normal de trabalho em Condução Continua entre as 7h00 e as 20h00, que podem passar para oito se houver tomada de refeição. No período nocturno, entre as 20h00 e as 7h00, iniciados ou 50%  dentro desse período, refere que não podem ser superiores a sete horas.

Ao nível das Condições Económicas defende que o aumento das “responsabilidades, tarefas e funções” enquanto regime de Condução em Agente Único justifica um retorno nos “ganhos da produtividade” para a categoria.