free web
stats

Série Euro 4000 Medway assegura last mile no tráfego ibérico

Euro 4000 "Adriana"

Euro 4000 “Adriana”

A Medway vai escalar locomotivas Euro 4000 para itinerário completo com trajecto ibérico. A opção reduz a manobra de troca de máquina na fronteira à mudança de tripulações.

O passo do operador ibérico e a valorização do parque de material diesel interoperável da Medway foi confirmado esta terça-feira em Espanha por Bruno Silva, Director Geral da empresa, após um encontro com Juan Alfaro, presidente de Renfe, onde se abordou a parceria e o Terminal de Mérida.

Sobre o encontro adiantou à webrails.tv : “Foi, nomeadamente, uma visita oficial ao terminal num projecto que se materializou em conjunto com a Renfe para a gestão e dinamização do terminal de Mérida. Vamos alavancar com o passo seguinte, de realização integral dos comboios com uma locomotiva Euro 4000, eliminando a troca na fronteira, de locomotiva e vagões, trocando apenas de tripulações. Foi nomeadamente uma visita oficial ao terminal num projecto que se materializou em conjunto com a Renfe para a gestão e dinamização do terminal de Mérida”.

Os dois responsáveis estiveram reunidos em Mérida, depois de uma visita ao Terminal da São Lázaro de gestão conjunta. O espaço tem como eixo de referência a movimentação de carga no eixo Sines – Mérida, mas com o aumento de carga pode abrir de forma regular para mais eixos.

“Este novo serviço e gestão do terminal tem contado com o importante confiança da ALB que é o cliente directo maioritário”, concluiu.

O anúncio de utilização do material interoperável no last mile espanhol abrevia o tempo no transporte do operador na fronteira, que assim passa a realizar itinerários completos Portugal – Espanha. A oportunidade vem na sequência da certificação da Medway como operador ferroviário parte B em Espanha.

A primeira máquina Medwey para formação dos maquinistas em Espanha, seguiu para Badajoz esta esta terça-feira.

A visita ao terminal também teve eco do lado espanhol

Também de visita a São Lázaro, Juan Alfaro, em declarações à imprensa, disse que a movimentação de mercadorias no terminal “vai muito bem”. Deu como exemplo a carga inicial semanal no eixo de Sines, que era de dois comboios por semana, está em vias de passar para três.

Serão “mais 1400 toneladas e entre 35 e 40 contentores movimentados”, adiantou à agência EFE.  Na intervenção Juan Alfaro deixou ainda em aberto a criação de nova rota no eixo Mérida – Madrid, terminal de Abroñigal.

Por seu turno, Bruno Silva, assinalou, junto da imprensa espanhola, que a parceria com a Renfe é boa e advertiu que o “grande desafio” está nas infraestruturas, já que neste caso há mais de 350 quilómetros, ida e volta, por comboio que por estrada.

Assim é “difícil competir”, sublinhou, junto da EFE, quando destacou o potencial de carga de Mérida. Um cenário de referência ao à construção do corredor sul.

São Lázaro

A actividade conjunta – Renfe, Medway e MSC – no terminal teve inicio a 15 de Novembro. Dois comboios por semana, com carga do armador MSC desde Sines, e tracção conjunta Renfe, em Espanha, e Medway em Portugal.

A movimentação de carga no eixo tem como referência os produtos hortícolas, sobretudo concentrado de tomate e perfis de alumínio.

As previsões de crescimento de Alfaro coincidem com os planos avançados pela Medway no lançamento do terminal, e que apontam para a abertura de novas rotas para Madrid, Valência, Algeciras e Huelva.

O terminal, propriedade da ADIF, encontra-se concessionado por 5 anos, extensível por mais dois de opção. Compreende uma área de 21 000 m², 3 vias. Uma de 360 metros e duas de 260 metros.