free web
stats

Guarda aprova 1505 para rotunda da cidade

barreiroEMEFEm reunião de Câmara os vereadores do Município da Guarda aprovaram a semana passada, por unanimidade, a colocação da locomotiva CP 1505 numa das rotundas da cidade. Os trabalhos foram adjudicada por 350 mil euros, adiantou a Rádio Altitude da Guarda.

O Município planeia colocar a antiga locomotiva diesel da CP, actualmente no Barreiro, numa rotunda entre a Av. da Estação a a Av. São Miguel. A colocação tem 350 mil Euros de orçamento, menos 50 que a proposta de Janeiro de 2017 que caiu, e prevê a requalificação da área envolvente.

No entanto a decisão chega numa altura em que o processo de classificação do Património Ferroviário do Barreiro está a avançar na Direcção Geral do Património Cultural, onde conta com Parecer Favorável. A novidade é o material circulante, a locomotiva faz parte do lote, também estar incluído no processo de classificação.

Existe o edificado – Oficinas do Caminho-de-Ferro (Estação Primitiva), a Estação Ferroviária e Fluvial do Sul e Sueste, a Rotunda das Máquinas Locomotivas, o Bairro Ferroviário -  e um lote de locomotivas e carruagens.

Numa imagem simples o quadro define-se como a classificação de uma igreja. Não se trata só do edifício, das paredes, ou altares. Do espaço fazem ainda parte o ambiente e até culto. Essas dimensões, nas leitura que pode valorizar o todo, têm como referência estátuas, quadros, e peças que são o prolongamento do cerimónia, como o cálice ou o ostensório.

De acordo com a DGPC o entorno são seis locomotivas, um locotractor, uma automotora e três carruagens. Equipamento estacionado no perímetro da oficinal da EMEF. A locomotiva diesel CP 1505 é uma das locomotivas que incorporam o processo de classificação.

A webrails.tv procurou inteirar-se de a situação da locomotiva no actual quadro junto da CP, nomeadamente qual a situação da peça e se empresa estava ao corrente do processo de classificação, numa situação em que parece que está tudo tratado.

Sobre se está comprometida com a Guarda e a solução de pedestal,  até à publicação desde artigo não foi possível obter resposta do incumbente.

Entretanto a webrails.tv teve conhecimento que poderá estar a ser feita a redacção do parecer para publicação em Diário da República. A divulgação de resposta positiva inviabiliza a ida da locomotiva para a Guarda. Como não saiu existe a possibilidade de mais uma locomotiva em pedestal.

Património Edificado do Barreiro Ferroviário

Do lado do património edificado, para classificação, também têm havido movimentações no Barreiro. Após contactos recentes entre a Infraestruturas de Portugal e o Município do Barreiro, surgiu indicação de que a Estação Sul e Sueste poderá passar para a responsabilidade da Autarquia barreirense.

Um promotor privado mostrou interesse pela Estação Sul e Sueste. Na plataforma Rostos,pt lê-se que a IP cede o edifício à autarquia e esta concessiona o espaço.

“Ou seja as Infraestruturas de Portugal passam o espaço para a Câmara Municipal do Barreiro e posteriormente a autarquia passa o espaço para o investidor”.

Sobre o cenário, Rui Braga, Vereador responsável pelo Gabinete Municipal de Desenvolvimento Económico e Estratégico, adiantou recentemente que “a Câmara Municipal gostaria que o espaço da antiga estação refletisse os interesses do Município e dos barreirenses, de acordo com a estratégia turística que estamos a desenvolver”.

“A aposta no Turismo é uma das grandes prioridades deste executivo, a interligação deste investimento com a quinta Braamcamp serão os motores de desenvolvimento económico e um catalisador de novos investimentos no Concelho”, acrescentou.

Ainda segundo o Rostos.pt, Frederico Rosa, o novo presidente da Câmara Municipal do Barreiro, na reunião de Câmara, divulgou que “está em fase final” a passagem para a responsabilidade da Câmara Municipal do Barreiro, diverso equipamento ferroviário.

Falou na Estação Sul e Sueste, no Dormitório e no Armazém de Víveres mais o Palácio do Coimbra. Este ultimo a “CP confirma que estão em estudo as condições de eventual cedência do Palácio de Coimbra à Câmara Municipal do Barreiro”.

Já a IP, como titular da outra parte do edificado, questionada sobre os imóveis e cedências, até publicar do artigo não foi possível obter resposta.

A rematar, e voltando ao inicio, dar conta que não é a primeira ver que a CP 1505 está em vias de seguir para pedestal na Guarda. Em Janeiro de 2017 também parecia ser esse o caminho.

Acabou por não ser porque a falta de quórum entre vereadores matou a questão. O voto contra foi justificado o custo da obra, 400 mil euros, e o vazio da intenção, refere a Radio Altitude.

Artigo completo encontra-se disponível para subscritores.