free web
stats

Concessão de Bobadela Norte com dez interessados

contentoresA dez dias do termino do concurso de concessão do Parque Norte do Complexo da Bobadela, a entrega de propostas fecha a 9 de Fevereiro, a Infraestruturas de Portugal registou 10 entidades interessadas nos documentos do concurso da concessão, apurou a webrails.tv .

A abertura de uma nova gestão por terceiros foi lançado no final de Dezembro de 2017. Mas apesar de haver interessados nos documentos o gestor de infraestruturas não confirmou se já houve entrega de propostas por parte de empresas ou agrupamentos.

No espaço a concurso , ao contrário do que a webrails.tv avançou reiteradas vezes, a concessão não recaiu no terminal IP do complexo, mas sim no Parque Norte. Sobre a opção pelo Parque Norte a IP esclareceu:

“Face às características dos diferentes espaços, nomeadamente no que diz respeito aos seus layouts e dimensões e de acordo com o conhecimento que a IP detém relativamente a esta actividade, procedeu-se desde já ao lançamento da concessão para a exploração do Parque Norte do Complexo da Bobadela. Também se beneficiou do fato de o contrato estar a expirar senão teríamos outro ano de espera”.

E enquadrou o lançamento na estratégia da empresa: “O concurso lançado em dezembro passado, relativo ao Parque Norte do Complexo da Bobadela, enquadra-se na política da Infraestruturas de Portugal para a valorização do negócio dos seus terminais, seja diretamente na sua atividade, seja no estímulo do transporte ferroviário de mercadorias na Rede Ferroviária Nacional. Esta estratégia consiste na adoção de modelos de concessão para a exploração dos diferentes espaços, tendo em consideração as suas diferentes especificidades. Neste sentido, está previsto o lançamento de outras concessões no decorrer do presente ano, como é o caso do Terminal de Mercadorias da Guarda”.

Acerca do terminal da Guarda, colocada a questão sobre particularidades do concurso que possam estimular o interesse pela infraestrutura e até o investimento de um futuro promotor, respondeu:

“A localização e as características do Terminal de Mercadorias da Guarda poderão reunir o interesse do mercado, prevendo-se ser possível lançar-se uma concessão para a sua exploração muito em breve. Este terminal, com cerca de 2ha, integra três linhas para carga e descarga de mercadorias esperando-se que a sua exploração possa vir a potenciar o transporte ferroviário de mercadorias”.

Já sobre um calendário de prioridades para a concessão dos terminais do Complexo da Bobadela – Parque Sul, concessionado à empresa SPC; Parque Norte, concessionado à empresa ALB; Parque Central, gerido directamente pela IP, com recursos próprios – esclareceu:

“Após o lançamento do concurso para a exploração do Parque Norte do Complexo da Bobadela está prevista a implementação de outras concessões. Não obstante, a sua priorização terá que ter em consideração as especificidades de cada espaço, não sendo possível, nesta data, o estabelecimento de uma calendarização pormenorizada dos concursos para a concessão dos diferentes terminais”.

A concurso estão gestão e manutenção de cerca 111.591 m² terminal, num complexo rodo ferroviário com acesso rodoviário e ligações ferroviárias aos portos nacionais e Espanha, por 5 anos. Depois dessa data, e de acordo com a prestação, a duração pode ser alvo de extensão ano a ano até duas renovações, num máximo de sete anos.

A renda anual base da concessão situa-se, no primeiro ano, nos 808 mil euros. O valor pode oscilar face aos comboios realizados.

Já o critério de adjudicação, adianta o anúncio do concurso, privilegia o “preço mais elevado para a concessão de exploração dos bens de domínio público”, entre as empresas do sector, sozinhas ou e grupo, que preencham os requisitos dos documentos que regulam a concessão.